quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

EXCLUSIVO Madeira: “Vivi momentos difíceis nesses 8 anos”



Descansando em algum lugar do Brasil ou do exterior, o ex-prefeito Sebastião Madeira parece aliviado da tarefa diária que cumpriu por oito anos. Único gestor até agora reeleito - com mais de 50% dos votos nas duas eleições – na história política da segunda cidade do Maranhão, ele revela que a renúncia “seria uma covardia”.

Na entrevista feita por email, Madeira fala de sua administração, elogia a “grandeza de gestos” do governador Flávio Dino, diz que nunca pensou em demitir sua esposa, Conceição Madeira, da Secretaria de Saúde (“aquela [pergunta] da dra. Conceição foi muito dura”), e garante que ainda não decidiu seu futuro político.

Confira abaixo a íntegra da entrevista.       

O senhor, em oito anos de mandato, foi assediado alguma vez com proposta de propinas para facilitar ou manipular algum processo licitatório?
Madeira  -  Não. Tive apenas dois presidentes [da Comissão Permanente de Licitação – CPL]. No primeiro mandato, foi o dr. Jonilson Viana. No início do segundo mandato, pediu exoneração porque a OAB não permitiu que ele continuasse acumulando a presidência da CPL e ao mesmo tempo exercesse a profissão. Então, convidei a dra. Denize Brige. O dr Jonilson aceitou o cargo de assessor jurídico. Quando os convidei tive uma conversa pessoal com cada um, nos seguintes termos: “Quero tudo absolutamente dentro da lei. Não aceitem pedido nem interferência de ninguém, nem minha. Se algum dia eu pedir a vocês algo irregular, peçam demissão mas não atendam nem a mim”. E assim foi feito. Nunca ninguém me pediu para interferir e muito menos ofereceu vantagem. Quando alguém me perguntava como era o processo, minha resposta era padrão: “Os editais de qualquer licitação estão na internet, busquem e concorram”.

Alguma vez, durante esse tempo, o senhor teve receio de ser vítima de atentado ou pensou em renunciar?
Madeira - Não para as duas perguntas. Todos são testemunhas que sempre circulei livremente pela cidade de peito aberto. Às vezes tinha alguma insatisfação ou conflito e os mais próximos diziam: “Madeira, não vai que é perigoso!”. Minha atitude era sempre de dizer que se houvesse algum lugar da cidade onde não pudesse ir, também não poderia continuar sendo prefeito. Vivi muitos momentos difíceis durante esses oito anos. Fui eleito contando com o governador Jackson Lago pra me ajudar. Três meses depois ele foi afastado do governo e fiquei tonto. Tivemos outras situações de extrema dificuldade, mas quando parecia não ter saída, uma luz se acendia. Tive ajuda do governador Jackson Lago mesmo no curto espaço de tempo em que convivemos como prefeito e governador. No início de 2011, a governadora Roseana me acudiu com R$ 5 milhões para a Saúde e fez vários convênios com o município, me ajudando bastante e, ressalte-se, que não era seu aliado. O governador Flávio Dino, nos últimos dois anos, tem tido um olhar muito especial para Imperatriz, que começou com a nomeação de Clayton Noleto para a Infraestrutura. Ajudou muito, principalmente na saúde e infraestrutura. Além de investimentos que foram direcionados diretamente para a cidade, como asfaltamento da Estrada do Arroz. Campus da Uema [agora Uemasul}, segurança, educação, etc. Também recebi ajuda de muitos deputados federais, como Davi Júnior, Francisco Escórcio, Nice lobão, Flávio Dino, Carlos Brandão, Domingos Dutra, Cleber Verde, Ribamar Alves, Rosângela Curado e André Fufuca, que ajudou a liberarrecursos para a saúde agora em dezembro.  E dos deputados estaduais João Batista, Léo Cunha, Antonio Pereira, Valeria Macedo e Marco Aurélio.
O governo federal investiu em Imperatriz nesses oito anos centenas de milhões de reais em infraestrutra (PAC Cafeteira) e habitação (Itamar Guará, Sebastião Régis, Canto da Serra e Teotônio Vilela). Portanto, embora com todas as dificuldades, nunca me passou pela cabeça abandonar a cidade com renúncia. Seria uma covardia. Seria um imenso desrespeito para com os que me elegeram duas vezes, as duas com mais de 50% dos votos.

O senhor foi muito criticado quando nomeou sua esposa, dona Conceição, para dirigir a Secretaria de Saúde. Ela enfrentou problemas com o Ministério Público, sua secretaria foi alvo de denúncias, enfrentou manifestações hostis de servidores, teve problema de saúde, enfrentou um tratamento, e mesmo assim ficou até o final do mandato. O senhor se arrependeu alguma vez de tê-la indicado para o cargo? Cogitou demiti-la?
Madeira - A dra. Conceição, médica anestesiologista e ultrasonografista, minha companheira por quarenta anos, assumiu a Secretaria de Saúde num momento de crise aguda  na gestão da secretaria,no iniciou de 2010. Por sete anos, lutou bravamente, enfrentando todo tipo de dificuldade, inclusive pessoais, e durante esse período alcançou avanços consideráveis. Triplicou o número de leitos de UTI, quase duplicou o número de leitos do Hospital Municipal Infantil (HMI), de 220 para 400, transformou a saúde mental de Imperatriz (inclusive recebendo prêmios de reconhecimento nacional, em 2015 e 2016), ampliando os CAPS, instalou residências terapêuticas, instalou o NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), SAD ( Serviço de Atendimento Domiciliar), unidade móvel de oncologia, consultório na rua, aliás o único do Maranhão, academias de saúde, novas unidades básicas de saúde, incluindo duas quase prontas, ampliou e descentralizou o SAMU, com três pólos. Implantou o SISREG (Informatização de Consultas, Exames e Cirurgias) no Três Poderes. Criou o Centrinho de Imperatriz para Correção de Fissura Labial (lábios leporino), ampliou o atendimento em todas as clínicas especializadas. Substituiu equipamentos alugados por equipamentos próprios.
E o mais importante: jamais um paciente foi recusado no hospital do município, seja qual fosse sua origem.
Quanto a questionamentos do Ministério Público, essa é uma sina da qual nenhum gestor escapa. É função dele. Aponte-me qual é o sindicato que é satisfeito com os gestores em qualquer parte do mundo? Se existir, não conheço. Nunca cogitei demiti-la. Pelo contrário, tenho o maior orgulho do que ela realizou, mesmo enfrentando por dois anos um calvário pessoal.

O que o senhor não fez e gostaria de ter feito? Voltaria atrás em alguma decisão que tomou?
Madeira - É irrelevante olhar pra trás e tentar alterar o acontecido. Tomei as decisões em cada instante analisando os prós e contras naquele exato momento. Não me arrependo de nada. Se acertei, e acho que foram muitos os acertos, ou se errei, foi sempre buscando o melhor para minha cidade e seu povo. O futuro dará seu julgamento.

O senhor apoiou o candidato Ribinha Cunha na eleição de 2016, indo contra a candidatura apoiada pelo governador Flávio Dino. Sofreu alguma represália administrativa ou política por não apoiado a candidata Rosângela Curado?
Madeira - Não. Jamais sofri qualquer represália política ou de qualquer outra ordem por parte do governador Flávio Dino. Ele sempre soube da minha posição em relação à eleição de Imperatriz. Em vez de represália, ele ajudou minha administração mesmo depois da eleição. Autorizou uma operação tapa-buracos e no dia 30 de dezembro autorizou a transferência de R$ 500 mil para a UPA do São José.
Também não sofri represálias da então governadora Roseana, quando decidi apoiar o hoje governador Flávio Dino, que disputou a eleição contra o candidato do PMDB.

O PSDB do Maranhão está rompido com o governador Flávio Dino?
Madeira - De forma alguma. O vice-governador Carlos Brandão é o presidente do PSDB estadual. Inclusive, assumindo o governo agora em janeiro, nas férias do governador Flávio Dino. A Secretaria de Desenvolvimento Social é ocupada pelo deputado Neto Evangelista. Muitos outros tucanos ocupam cargos no governo e os primeiros prefeitos que estiveram com o governador, logo após a eleição, são do PSDB.

Em 2018, o senhor é candidato a deputado federal ou a senador?
Madeira - Das perguntas que me foram feitas, essa é a única que ainda não sei a resposta. Quem tem tempo, não tem pressa. Sou do signo de capricórnio. Como é característica dos nascidos sob esse signo, paciência não me falta. Tem um ditado que diz que ‘o que mais se ganha na vida é o tempo que se perdeu em esperar’. Vou esperar.

Clayton assume defesa do governo nas redes sociais

O secretário Clayton Noleto (Infraestrutura), presidente do PCdoB de Imperatriz, é hoje um dos assessores mais próximos do governador Flávio Dino, e tem feito sua parte na defesa do governo.
Testemunha de poder das mudanças alcançadas em dois anos de mandato do primeiro governador comunista do país, Noleto puxa parte do secretariado na missão.

Tem atuado principalmente nas redes sociais, onde tem centenas de seguidores. E orientado sua militância e os quadros do partido na região tocantina a seguir seu exemplo.

No Twitter, Clayton é muito ativo. Em uma de suas últimas postagens, revela nas linhas claras algumas ações de forte impacto de sua pasta em 2017.  Diz ele: “Quem for contra o Maranhão, ajeite-se na poltrona que vem muita coisa por aí: escola digna, rodovias sendo concluídas, novas rodovias...”.

Transparência
O Ministério Público exigiu três declarações de novos assessores indicados pelos vereadores para trabalharem em seus gabinetes.

Prontamente a presidência da Câmara de Imperatriz atendeu à determinação. Só será nomeado quem apresentar as três declarações: de bens, de não ter grau de parentesco com vereadores (nepotismo cruzado) e de não ter outra função ou cargo no serviço público.

Retorno
Há consenso entre as bancadas do PDT, PCdoB e PSB na Assembleia Legislativa para que o deputado Marco Aurélio retorne à presidência da Comissão de Constituição Justiça (CCJ), a comissão mais importante do parlamento estadual.

O mandato nas comissões da Assembleia é de 1 ano. Marco Aurélio dirigiu a CCJ em 2015 – em 2016 foi Rafael Leitoa (PDT).

Caos
Que coisa feia! O ex-prefeito de Governador Edison Lobão, Evando Viana, acusado de nepotismo quando no cargo, deixou terra arrasada para Geraldo Braga (PCdoB), seu sucessor.

Parte do funcionalismo com quatro meses de salários atrasados mais 13º, ruas esburacadas, prédios públicos e escolas às traças e estradas vicinais intrafegáveis.  

‘Fantasmas” larápios
Aconteceu em Nova Gama (GO) no Réveillon. Ainda de posse de chaves que davam acesso ao interior do prédio da Prefeitura, dois ex-secretários se fantasiaram de “fantasmas”, usando lençóis para cobrir o corpo, e furtaram uma impressora. As imagens foram registradas pelas câmeras de segurança.

Na delegacia, um deles disse que os dois estavam bêbados e que queriam apenas assustar os seguranças.

Relatório da Prefeitura aponta que mais itens sumiram do prédio, além da impressora - um computador e mais uma impressora.

Não há discriminação na Assembleia, diz Marco Aurélio

Vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB) afirma que o governo do estado tem mantido um relacionamento muito positivo com o parlamento estadual, procurando responder na medida do possível todas as demandas dos deputados, incluindo os da bancada de oposição.

Segundo o parlamentar, “tem-se um governo com uma agenda de trabalho muito forte, que abrange todas as regiões do estado, automaticamente isso inclui o trabalho dos deputados, valoriza o trabalho dos deputados, que inclui também as ações dos deputados em suas bases eleitorais e contempla as reivindicações que os deputados apresentam na Assembleia”.

Ele cita seu trabalho como exemplo do interesse do governo em atender as reivindicações legislativas dos parlamentares. “Tenho conseguido uma parceria muito forte, não só através das emendas que destino e que o estado tem executado dentro da sua possibilidade, como também nas causas que levamos aos diversos secretários de estado, que têm conseguido atender nossas reivindicações”.

Marco Aurélio diz que todos os deputados têm sido tratados igualitariamente, “mas diante das dificuldades financeiras, às vezes nem todas as demandas são atendidas”. “Mas a gente percebe um tratamento digno do secretário Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) e do secretario Marcelo Tavares (Casa Civil), que trata dessa articulação com a Assembleia”.

“O governo tem procurado absorver todas as necessidades que são propostas. Todas as discussões da Assembleia, todo encaminhamento que a Assembleia faz. Afinal, a Assembleia é uma voz muito importante da sociedade que consegue ecoar e consegue também pautar as discussões do governo. De modo que a Assembleia Legislativa, ela consegue dialogar diretamente com o governo”, acrescenta.

Marco Aurélio defende a pluralidade ideológica e partidária do parlamento estadual, mas ressalta que “há aqueles que preferem a linha do diálogo construtivo e aqueles que preferem uma linha mesmo da crítica, que preferem procurar um desgaste [do governo] do que ajudar com a crítica construtiva”. “Mas o certo é que a voz da assembléia é ouvida pelo governo do estado”.

Crescimento do PCdoB

O deputado destaca o crescimento do PCdoB e diz que o partido está preparado para o novo momento político pelo qual passa o estado.

“O PCdoB não só cresceu em números, mas cresceu qualitativamente. Os quadros, a militância, a identidade que o partido cria, enraizada com os municípios, sobretudo com as comunidades mais carentes do estado, através das políticas públicas que o governador Flávio Dino, que é do PCdoB, implanta no estado do Maranhão”, reforça.

Marco Aurélio aponta alguns programas do governo, como Escola Digna, Mais Bolsa Escola, Mais Asfalto e Água para Todos, como marcos dessa identidade criada com a sociedade.

“Ver a política de governo chegando à população, isso automaticamente agrega sua identidade também ao partido do governador, que é quem comanda esse trabalho no Maranhão, e o partido se fortalece não só em uma disputa de poder pelo poder, mas, sobretudo, pela maneira como se faz política. Quando o governador dizia que mudaria a maneira de fazer política no Maranhão, ele não falava da boca pra fora”, declara o deputado.

Para ele, as práticas estão sendo modificadas e há uma transição de um modelo, “mas acredito que gradativamente as eleições irão tender cada vez a uma discussão pragmática, uma discussão prática, por uma discussão da sociedade, onde os quadros devem ser cada vez mais qualificados e mais próximos da sociedade”. “De modo que o PCdoB está preparado para essa nova realidade, pra esse novo desafio da nova política do Maranhão”.               


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Filiação partidária não impede contratos

Flávio Dino: análise jurídica do contrato de aluguel da casa da Funac
O governador Flávio Dino usou o Facebook para se defender do "escritório que fabrica os factóides” – na definição do secretário de Comunicação, Márcio Jerry -, em supostas irregularidades na contratação de imóvel para abrigar uma unidade da Funac em São Luís.

Dino tomou pulso da situação, o que estava faltando desde o começo quando o caso foi divulgado.

Disse que vai “analisar juridicamente a situação de o cidadão [proprietário do imóvel] ser empregado de uma empresa pública”.

O governador negou que tenha sido responsável pela nomeação do proprietário do imóvel em cargo no governo: “Friso: tal nomeação não passa por mim”.

E prometeu: “Se houver qualquer dúvida jurídica sobre isso, a lei será aplicada, como tem sido sempre no nosso governo”.

Quanto ao fato de o proprietário do imóvel ser filiado ao PCdoB - partido de Dino - o governador foi direto: “Dúvida jurídica sobre a condição do cidadão ser empregado de uma empresa pública. Não sobre filiação partidária, que obviamente não impede [contratação do imóvel]”.  

Vai, não vai
Não vai. É o que garante o vereador João Silva (PRB). Seu nome estava sendo cotado para assumir a Secretaria de Planejamento Urbano e abrir vaga na Câmara de Vereadores para o suplente, Fidélis Uchoa, também do PRB, por acaso titular da pasta, já nomeado.

Posicionamento
Vereador Carlos Hermes (PCdoB) avisando que relacionamento com governo Assis Ramos será institucional. Oposição mais forte quando matéria confrontar-se com os interesses do Município.

Contato direto
Não é por falta de visitas às suas bases que o deputado Marco Aurélio (PCdoB) vai ser cobrado em seu mandato. Nem por ausência de atenção à educação, a principal bandeira de sua campanha.
Nesta segunda, 9,  visitou São João do Paraíso, Sítio Novo e Lajeado Novo, ouvindo dos prefeitos as demandas educacionais e anunciando ações imediatas em três escolas estaduais nos respectivos municípios.

Contraponto
O Governo do Maranhão tem usado dados atualizados para contrapor-se às críticas ao sistema carcerário do estado. Entre as ações, informa a aquisição de 30 viaturas em 2016, que somam 60 em 24 presídios do interior, instalação do sistema VoIP, que torna mais célere a comunicação interna institucional entre os servidores, concurso público para 100 novos agentes penitenciários efetivos, seguido da formatura de 235 novos agentes.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Antonio Pereira é aliado de primeira hora

Acertou quem apostou no ‘prestígio’ do deputado estadual Antonio Pereira (DEM) na administração de Assis Ramos.

Curiosamente, o parlamentar foi um dos maiores incentivadores da candidatura de Rosângela Curado na eleição para prefeito.

O cara é forte.

Teste de fogo
Presidente José Carlos Soares elogiou a atuação dos novatos na estréia nas sessões da Câmara Municipal.
Destacou a conduta de Fábio Hernandez (PSC), vice-presidente, que dirigiu maior parte da sessão que sacramentou a indicação do novo gestor da Fundação Cultural, Chiquinho França, e dos demais estreantes que participaram da sabatina.

Na proa         
De Brasília, onde descansa, o ex-prefeito Madeira avisa: ainda tem muita coisa pela frente.

Nem pensa em escrever suas memórias agora. “A história não acabou”.

Por tabela
Indicação da OAB, o advogado Bruno Caldas será o adjunto na Procuradoria do Município.

A propósito, leio comentário no Facebook do advogado Jucelino Pereira sobre o assunto: “A OAB, subseção de Imperatriz, já havia enviado ao então prefeito eleito um expediente reivindicando a convocação de advogados aprovados no último concurso para Procurador do Município. Dr Assis Ramos decidirá até esta sexta se atende ou não o pedido da Ordem dos Advogados. Na Administração passada se fez opção - em vez de convocar os concursados - pela contratação de assessores jurídicos. A expectativa da competente diretoria local da OAB é que pelo menos alguns dos concursados sejam empossados pelo novo prefeito, já que o mesmo é também servidor público”.

Fuzilado
Blogues da capital tentam desestabilizar indicação do jornalista Sérgio Macedo para a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Imperatriz.

Guerra travada nos porões das disputas por acessos.  

Ordem pessoal
Com R$ 200 milhões a mais, orçamento da Secretaria de Segurança do Maranhão para 2017 vai a R$ 1.607.358.011.  

Determinação do governador Flávio Dino.

Sem intermediário
A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) autorizou o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassar os recursos do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate), para transporte de estudantes da rede estadual, diretamente aos municípios que executam o programa. A medida desburocratiza a tramitação dos recursos e fortalece a Estado/municípios.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Governo intensifica ações emergenciais na MA-006

Secretário Clayton Noleto (centro), titular da Infraestrutura/Foto: Jackson Silva
Por Janaína Amorim

O Governo do Maranhão intensificou as obras emergenciais na MA-006. Os secretários de Estado da Infraestrutura (Sinfra), Clayton Noleto, e da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Márcio Honaiser, estiveram no extremo Sul do Maranhão, nesta semana, para vistoriar as obras de conservação da rodovia MA-006 e a construção do Hospital Regional.

Desde o ano passado, o Estado mantêm equipes contínuas na estrada para garantir a trafegabilidade. No entanto, a situação é delicada porque a rodovia foi pavimentada há cerca de 17 anos, e, desde então, nunca recebeu nenhum serviço de recuperação. Com isso, mais de 80% do asfalto está destruído. Além disso, a qualidade do pavimento não suporta o tráfego intenso dos veículos de grande porte que transportam a produção agrícola da região.

Os secretários percorreram mais de 200 quilômetros, de Balsas a Alto Parnaíba, onde estão os pontos mais críticos da rodovia. “Constatamos que, dos 226 km percorridos, 40 km, aproximadamente, ainda exigem serviços de melhoramento e conservação”, afirmou Clayton Noleto. Ele acrescentou que nos próximos dias, as ações emergenciais de recuperação serão intensificadas nesse trecho.

O Governo do Estado já pensou em uma solução mais efetiva para estrada. De acordo com Noleto, o projeto para a reconstrução da rodovia no trecho de 233 km entre Balsas e Alto Parnaíba, orçado em R$ 300 milhões, está pronto e aguardando a liberação de recursos.

Outros trechos como Grajaú/Formosa da Serra Negra e Grajaú/Arame também já receberam melhoramento. Segundo Honaiser essa é uma das estradas mais importantes do estado, que liga o norte ao extremo sul do estado e garante o escoamento de parte significativa da produção agrícola, principalmente de soja e milho. “Nós estamos próximos do período da safra, temos que nos  preocupar com o escoamento da produção agrícola de soja na região e temos as ações conjuntas para garantir a trafegabilidade, enquanto os recursos chegam para reconstruirmos a rodovia”, avaliou Márcio Honaiser.

Já as obras no Hospital Regional, retomadas no ano passado, atenderão a 14 cidades próximas a Balsas. A unidade de saúde terá capacidade para 50 leitos e 12 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e está sendo construída com recursos próprios do Governo do Estado. A previsão é que os serviços sejam entregues ainda esse ano.

Na oportunidade, os secretários se reuniram com os prefeitos recém eleitos das cidades de Balsas, Erik Augusto Costa e Silva, de Alto Parnaíba, Rubens Sussumu Ogasawara, e de Tasso Fragoso, Roberth Cleydson Martins Coelho, para ouvir as demandas dos municípios.


Câmara aprova indicação de Chiquinho França para a FCI

Chiquinho França é sabatinado pelos vereadores; indicação foi aprovada por 19votos a favor e 1 contra/Foto: Sydney Rodrigues


Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira (4), a Câmara de Vereadores aprovou a indicação do músico e produtor cultural Chiquinho França como o novo gestor da Fundação Cultural de Imperatriz (FCI), em cumprimento ao artigo 14 da Lei Orgânica do Município. 

Durante mais de duas horas, Chiquinho França foi sabatinado pelos vereadores e apresentou os projetos da FCI para os próximos quatro anos.
Para o vereador Adhemar Freitas Jr. (PSC), a FCI deve priorizar a manutenção do patrimônio cultural do Município. “Temos manifestações que precisam do apoio direto do Município, como as festas juninas e outras atividades artísticas”, observou.

O vereador Alberto Sousa (PDT) questionou a ausência de legislação que preserve o patrimônio arquitetônico da cidade e sugeriu a criação de lei de tombamento de prédios históricos.

A efetiva aplicação da lei 1541/2014, que criou o Fundo de Incentivo a Cultura, é preocupação do vereador Ricardo Seidel (Rede). Ele cobrou os repasses do Fundo aos projetos culturais e lamentou que desde a criação da lei, o Município não cumpriu com essa obrigação.

O vereador Ditola (PEN) solicitou a imediata construção de um museu e uma biblioteca municipal, e a intervenção da FCI para que o Ecad não seja somente um órgão arrecadador de direitos autorais, mas  contemple compositores, músicos e criadores com os repasses previstos em lei.          

Idealizador da Lei de Incentivo a Cultura, Rildo Amaral (Solidariedade) disse que o Teatro Ferreira Gullar ficou pequeno para as exigências de artistas e público. Revelou que destinou R$ 120 mil em emendas para as festas juninas e reforma do teatro. 

Já o vereador Aurélio (PT) lamentou o pequeno orçamento para a cultura e também cobrou a destinação dos recursos do Fundo de Incentivo a Cultura a classe artística. Reivindicou ainda projetos de cinema e teatro nos bairros.
Carlos Hermes (PCdoB) quer a construção do Arquivo Público Municipal  e lembrou que o deputado estadual Marco Aurélio, colega de partido, destinou emenda de R$ 500 mil com esse objetivo. 

Bebe Taxista (PEN) reivindicou a realização das festas carnavalescas nos bairros, valorização da musica imperatrizense e apoio ao reggae.
Bispo Eudes (PRP) lembrou a necessidade de se resgatar o antigo Festival Balneário Estância do Recreio (Faber) e da banda municipal.

Paulinho Lobão (PDT) pediu o resgate do carnaval com trios elétricos.
Chiquin da Diferro (PSB) criticou a falta de emendas das bancadas estadual e federal e disse que o Município não tem condições de arcar sozinho com festas populares, como o Carnaval.

O vereador Fábio Hernandez (PSC) apresentou sugestão para que a FCI busque parcerias público-privadas, orçamento para o Carnaval e o São João e disse que vai apresentar emenda para o setor cultural.

O presidente José Carlos Soares (PV), antes de encerrar a sabatina e encaminhar a votação, pediu “para que não haja discriminação com os artistas regionais” e garantiu que a Câmara Municipal dará total apoio a FCI.

“A Casa está a disposição para apoiar todo e qualquer projeto que traga benefícios a nossa gente”, finalizou. (Ascom/Câmara)