EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby)


Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex-juiz Márlon Reis, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa, diz que espera uma posição oficial da Rede para definir sua participação política na eleição de 2018, que uma candidatura ao Senado é uma “opção possível”, defende eleições diretas já, candidatura de Marina Silva e conclama eleitor a não abandonar a participação política.

Confira:

- O senhor já definiu um caminho político ou fica na assessoria jurídica da Rede?

Márlon Reis – O meu destino político está relacionado ao que vier a ser discutido pela direção nacional do meu partido. Tenho um nome conhecido em outras regiões do país e coloquei o meu nome à disposição da direção nacional da Rede para que oriente qual a melhor alternativa para meu futuro político.

- Seu nome é muito cotado para o Senado. Ou pelo Maranhão ou outro estado da federação, inclusive pelo Distrito Federal. Seria esta a primeira opção?

Márlon Reis – É uma opção possível, sim. Ei tenho recebido convites  de alguns estados, lugares onde sempre tive uma presença muito frequente e onde eu estou agora em virtude do meu trabalho de advogado. Como disse, tanto o cargo como o domicílio eleitoral dependerá muito do que vier a ser decidido pela direção nacional da Rede.

- Em relação à campanha presidencial, a Rede caminha com candidatura própria ou pensa em fazer parte de uma frente?

Márlon Reis – Marina [Silva] é nossa candidata. Temos defendido abertamente que ela volte a postular um mandato de presidente da República. O momento é extremamente propício para a terceira via porque todas as grandes forças políticas estão completamente destruídas pelo envolvimento direto com a corrupção e a Rede não tem esse problema, Marina, particularmente, não tem. Então, ela tem todos os atributos, experiência, para se candidatar novamente à Presidência.

- Com a crise política aberta pela Operação Lava Jato, que atingiu figuras da alta República, qual a posição da Rede?

Márlon Reis – A Rede defende eleições diretas, já, porque a solução deve vir da própria sociedade. Essa é a posição oficial da Rede: eleições diretas para a Presidência da República para que seja eleito alguém para completar esse período, um mandato tampão.
Agora, em não acontecendo isso, eu particularmente faço questão de frisar uma coisa: nós não podemos desistir da participação política. O eleitor não pode achar que todos são iguais. Porque se o eleitor deixar de comparecer ou votar nulo ele vai estar favorecendo quem compra votos. Existem muitos políticos honrados, homens e mulheres e é papel, é dever cívico de nós, como eleitores, identificá-los e  votar neles para que eles ganhem e ocupem esses lugares que hoje são, em sua maioria, ocupados por pessoas inaptas e desqualificadas, até mesmo do ponto vista moral.   
     

Suzano abre oportunidades para jovens de Imperatriz



A Suzano Papel e Celulose, uma das maiores produtoras verticalmente integradas de papel e celulose de eucalipto da América Latina, iniciou as inscrições para o próximo processo seletivo da Escola Formare Aprendiz da Unidade de Imperatriz, no Maranhão.

O programa, desenvolvido pela Fundação Iochpe em parceria com a empresa, oferece o curso de Operador de Processo de Produção. Ao todo, são 1.260 horas entre disciplinas práticas e teóricas, proporcionando maior oportunidade de aprendizado e crescimento profissional para o mercado de trabalho. Além disso, vale destacar que todos os jovens são contratados, durante todo o curso, em regime CLT, conforme a Lei de Aprendiz.

Veja o que é necessário para se inscrever:
Ter entre 18 e 19 anos completos;
Residir nos bairros: Boca da Mata, Santa Inês, Santa Rita, Pq Planalto, Planalto, São José, Pq São José, Pq Independência, Ouro Verde, Imigrantes, Vila JK, Vila Santo Amaro, Bom Sucesso, Nova Imperatriz, Entrocamento, Centro, Bacuri, Quintas Do Jacó, Conjunto Vitoria, Mercadinho, Três Poderes, Vila Nova, Pq. Santa Lucia, Vila Lobão, Eco Park, Vila João Castelo, Vila Cafeteira, Vila Macedo e as comunidades: Bacaba, Matança, Açaízal, Esperantina, Embiral e Olho d’água dos Martins) ter Ensino Médio completo ou estar cursando o segundo ou terceiro ano em escola pública; ser membro de famílias com renda mensal de até um salário mínimo por pessoa; ter disponibilidade para acompanhar as aulas no período das 8h às 16h de segunda a sexta-feira; não possuir vínculo empregatício em regime CLT por mais de um ano; e ter sido dispensado do serviço militar.

Requisitos básicos:

§  Ter 18 ou 19 anos completos até 31 de julho de 2017;
§  A família deve ter uma renda de até um salário mínimo por pessoa;
§  Ensino Médio completo ou estar cursando o 2º ou 3º ano em escola pública;
§  Estar dispensado do Serviço Militar;
§  Residir Residir nos bairros: Boca da Mata, Santa Inês, Santa Rita, Pq Planalto, Planalto, São José, Pq São José, Pq Independência, Ouro Verde, Imigrantes, Vila JK, Vila Santo Amaro, Bom Sucesso, Nova Imperatriz, Entrocamento, Centro, Bacuri, Quintas Do Jacó, Conjunto Vitoria, Mercadinho, Três Poderes, Vila Nova, Pq. Santa Lucia, Vila Lobão, Eco Park, Vila João Castelo, Vila Cafeteira, Vila Macedo e as comunidades: Bacaba, Matança, Açaízal, Esperantina, Embiral e Olho d’água dos Martins)
§  Ter disponibilidade das 08h às 16h, de segunda-feira à sexta-feira;
§  Sem vínculo empregatício em regime CLT, regido pela Lei de Aprendizagem 10.097/00 por mais de um ano.

Inscrições

As inscrições vão até o dia 14 de julho e,  após essa etapa de inscrições, os candidatos farão uma prova seletiva, envolvendo especialmente matemática, português e redação. As demais etapas são classificatórias.
Para se inscrever no processo, é necessário enviar um e-mail para voluntariar@suzano.com.br.

FORMARE APRENDIZ SUZANO

A Suzano Papel e Celulose desenvolve o projeto Escola Formare Aprendiz, desde 2005, ao todo, já formou 580 jovens. Do total, 75% estão inseridos no mercado de trabalho, sendo que 127 jovens foram absorvidos nas operações da empresa em todo o Brasil. As aulas são ministradas por colaboradores da Suzano, seguindo a metodologia da Fundação Iochpe, que tem 29 anos de experiência, com 64 unidades em diferentes empresas, espalhadas por 11 estados brasileiros e agora com duas unidades no México. Mais de 19 mil alunos se formaram nos diversos cursos e outros 1.300 se formando entre 2016 e 2017.
Na região do Maranhão, 46% dos jovens capacitados pelo programa, estão trabalhando na empresa. “O projeto reforça nosso compromisso com a educação, buscando sempre inspirar e incentivar nossos colaboradores a compartilhar seus conhecimentos, visando gerar mais oportunidades para jovens na região, construindo assim um movimento de transformação social e mudança positiva na sociedade. Acreditamos que todos podem fazer a diferença!” Elisabete Flores Pagliusi – Coordenadora de Voluntariado e Projetos de Formação.
Segundo o ex-aprendiz e atual Operador Assistente de  Tratamento de Água Efluentes,  Lucas Huam Rodrigues Menezes, o Formare abriu muitos caminhos que ele não imaginava traçar e que fez com que ele buscasse seus sonhos e pensar como poderia melhorar seu futuro.

Sobre a Suzano Papel e Celulose

A Suzano Papel e Celulose é uma empresa de base florestal e uma das maiores produtoras verticalmente integradas da América Latina. Subsidiária da Suzano Holding e parte do Grupo Suzano, a empresa investe há 93 anos na indústria de papel e celulose e possui operações globais em aproximadamente 60 países. Atualmente, são cinco unidades industriais: Suzano, Rio Verde e Limeira, no estado de São Paulo, Mucuri, na Bahia, e Imperatriz, no Maranhão. Sua capacidade anual de produção é de 4,7 milhões de toneladas de papel e celulose. A empresa opera ainda na área de biotecnologia, por meio da FuturaGene, primeira empresa do mundo a obter aprovação para o uso comercial de eucalipto geneticamente modificado; celulose fluff, usada na produção de fraldas e absorventes higiênicos; lignina, um subproduto do processo de fabricação da celulose, e potencial substituto de derivados de petróleo em aplicações de alto valor; e tissue, como um parceiro industrial para a indústria de papel higiênico. (Assessoria Suzano)

SAÚDE: MA economiza R$ 508 milhões com redução de terceirizadas


Hospital de Imperatriz construído e mantido pelo governo do estado

A economia de mais de meio bilhão de reais desde 2015 com a redução das entidades terceirizadas que administravam hospitais no Maranhão aconteceu ao mesmo tempo em que o governo aumentou os serviços na saúde pública.
O modelo de gestão por Organizações Sociais foi herdado das gestões anteriores. Em dois anos, com a redução dessas entidades terceirizadas, R$ 508,2 milhões foram economizados.

Foi o suficiente para estabelecer diversos marcos e programas inéditos na saúde maranhense. Entre eles, por exemplo, está a entrega de cinco hospitais macrorregionais, algo jamais feito em qualquer outra gestão.

As unidades estão na Baixada Maranhense (Hospital de Pinheiro Dr. Jackson Lago), no Leste Maranhense (Hospital de Caxias Dr. Everaldo Aragão), em Pindaré (Hospital de Santa Inês Dr. Tomás Martins), na Região Tocantina (Hospital de Imperatriz Dra. Ruth Noleto) e no Médio Mearim (Hospital de Bacabal Dra. Laura Vasconcelos).

O Hospital Regional de Balsas está em fase de conclusão e vai ser a sexta unidade entregue. Serão 50 leitos. Os hospitais macrorregionais têm impacto muito grande em toda a região. A unidade de Caxias, por exemplo, fez mais de um milhão de atendimentos em menos de um ano e meio.

“Nós readequamos despesas e estamos fazendo a transição dos institutos para a Emserh (Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares), o que tem permitido economia e melhor racionalização de recursos”, diz o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

“Temos trabalhado intensamente para que as unidades estejam devidamente equipadas e distribuídas pelo estado de forma a alcançar cada vez mais maranhenses, com dignidade e zelo pela coisa pública”, acrescenta.

Tecnologia

Outra iniciativa inédita na história do Maranhão é a criação de uma UTI Materna. Inaugurada em abril deste ano na Maternidade Marly Sarney, é a primeira UTI do estado voltada especificamente para o cuidado com as mães.

A Unidade de Tratamento Intensivo também é a única da rede pública do Maranhão com um sistema de monitorização da situação clínica de cada paciente via celular. A nova tecnologia facilita o acompanhamento das pacientes pela equipe médica.

O Maranhão também tem, pela primeira vez, um programa sistemático de entrega de novas ambulâncias para todos os municípios. Desde o início do ano as cidades estão recebendo os veículos para recompor a estrutura de saúde do estado.

Até agora, foram contemplados quase cem municípios. É uma ambulância entregue a cada dois dias. A meta é atingir as 217 cidades até o fim do ano. Muitos dos municípios beneficiados não tinham nem mesmo um veículo desse tipo, fazendo o transporte com carros improvisados.

Alcance

Outra iniciativa inédita é a criação da Fesma (Força Estadual de Saúde), que atua nos 30 municípios do Plano Mais IDH, voltado para a população mais carente. É a primeira vez que essas cidades recebem atenção nesse nível. São 120 novos profissionais contratados por concurso que percorrem as regiões mais distantes para levar atendimento de saúde.

A Fesma já fez mais de 600 mil atendimentos desde que foi criada, salvando vidas e prevenindo o surgimento de doenças.

O Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (Ninar) também é um marco na história da saúde do Maranhão. A casa virou referência nacional no tratamento especializado de doenças neurológicas infantis.

Os atendimentos de saúde na Caravana Governo de Todos são igualmente uma experiência inédita para os maranhenses. A caravana já percorreu dezenas de municípios com vacinação, medição de pressão arterial, glicemia, testes rápidos e consultas. A ação continua para chegar a todas as cidades do estado.

Empresas de deputados e senadores devem R$ 372 milhões à Previdência

DO BLOG DO SAKAMOTO (CLIQUE AQUI PARA LER MATÉRIA COMPLETA)

Bradesco é condenado a indenizar idoso por descontos indevidos

ICATU (MA) - Por determinação do juiz Karlos Alberto Ribeiro Mota, titular da comarca de Icatu, o Banco Bradesco deve pagar a L.G. a quantia de R$ 14.960,00 (quatorze mil e novecentos e sessenta reais) referente à repetição de indébito (restituição de quantia paga indevidamente), além de R$ 10 mil (dez mil reais) a título de danos morais por descontos indevidos relativos a empréstimo que o mesmo não fez. De acordo com a sentença, o banco réu deve ainda declarar inexistente o contrato de empréstimo de número 726228338, supostamente firmado entre banco e autor, bem como suspender imediatamente os descontos no benefício do autor, sob pena multa de R$ 500 (quinhentos reais) por desconto indevido a partir da intimação da decisão.

A decisão foi proferida em ação movida pelo autor em desfavor do Bradesco. Narra o reclamante na ação que, por cinquenta e cinco meses (outubro de 2012 a maio de 2017) a instituição financeira teria descontado do seu benefício previdenciário a parcela de R$ 136 (cento e trinta e seis reais). Os descontos seriam relativos a empréstimo no valor de R$ 4.469,25 (quatro mil, quatrocentos e sessenta e nove reais e vinte e cinco centavos), parcelado em sessenta vezes de R$ 136 (cento e trinta e seis reais), e que o autor da ação garante não ter contratado.

Consta da sentença que, devidamente citado, o banco réu não compareceu à audiência de conciliação, instrução e julgamento preferindo a ausência justificada, pelo que, nas palavras do magistrado, “presumem-se verdadeiros os fatos articulados na petição inicial”.

Constrangimento - Destacando o constrangimento do autor, aposentado do INSS, de ter valor indevido descontado do seu benefício durante cinquenta e dois meses, comprometendo assim a renda mensal de apenas um salário-mínimo, os meios de se alimentar, se vestir, comprar remédios, enfim, de arcar com o necessário para suas subsistências, o magistrado afirma que o fato é suficiente para garantir ao reclamante o direito de ser indenizado.
E conclui: Vejo como indispensável a análise da intensidade e a duração do sofrimento do autor, a repercussão e consequências advindas da ofensa, bem assim as características pessoais e a situação econômica das partes litigantes, sempre atento ao fato de que o valor da indenização não deve dar causa ao enriquecimento ilícito do autor, nem pode ser quantia irrisória, enfim deve ser um valor que sirva a dupla finalidade do instituto – ressarcimento e prevenção, de modo a admoestar o réu para que proceda de modo diverso em outras circunstâncias.
A íntegra da sentença consta das páginas n.º 711/712 do Diário Eletrônico da Justiça.
 
Marta Barros
Assessoria de Comunicação

Maranhão contra a corrupção

O movimento ‘Maranhão Contra a Corrupção’ divulgou os números finais relativos às duas semanas de trabalho nas comarcas do Estado, apresentando o resultado das atividades nas 78 unidades jurisdicionais que integraram o evento. O mutirão corrupção foi realizado em duas semanas (final de maio e início de junho) com o objetivo de dar andamento a processos relativos a crimes contra a administração pública e de improbidade administrativa. O mutirão teve o apoio institucional da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MA), órgão responsável pelo controle e fiscalização dos serviços judiciários do primeiro grau.
Os números finais apresentados pela coordenação do movimento destacam 243 sentenças e 389 decisões prolatadas, tendo ainda 697 despachos e 45 audiências, resultando em 1.374 atos processuais. Além das sanções inerentes aos casos de improbidade (suspensão de direitos políticos, devolução de dinheiro público, proibição de contratar com o poder público, etc) diversas ações resultaram em penas de reclusão, sendo que os réus ainda poderão recorrer em outras instâncias. Os números foram repassados à CGJ-MA pela juíza Elaile Carvalho, titular da 1ª Vara de Balsas e integrante da coordenação do mutirão.
Exemplos – Na 1ª Vara da Comarca de Zé Doca foi realizado um esforço concentrado de juízes e servidores, resultando no julgamento de dezenas de processos relacionados a ações civis públicas de improbidade administrativa e ações penais por crimes cometidos contra a Administração Pública. Lá, as audiências do mutirão foram presididas pela juíza titular da unidade judicial, Denise Pedrosa Torres, e pelo juiz Douglas Martins, designado pela Corregedoria Geral da Justiça para atuar no mutirão.
Já em Humberto de Campos, as sentenças assinadas pelo juiz Raphael de Jesus Serra Ribeiro Amorim, condenaram os ex-prefeitos do município e de Santo Amaro do Maranhão (termo), respectivamente Raimundo Nonato dos Santos (Humberto de Campos), Francisco Lisboa da Silva e Manoel Jaime Rodrigues da Cruz (Santo Amaro) por atos de improbidade administrativa. Entre as irregularidades praticadas pelos ex-gestores, em Humberto de Campos, Zé Doca e em outras comarcas, destacam-se ausência de licitações, fraudes em processos licitatórios, ausência de prestação de contas, sumiço de documentos, contratações fraudulentas de empresas e serviços, e aplicação incorreta de verbas públicas.
Na pauta da semana em Cururupu, ações de improbidade administrativa e de crimes praticados contra a administração pública, com a condenação dos ex-gestores Antônio Lourenço da Silva, Hermínio Gomes Filho, José Francisco Pestana, Maria de Nazaré Quadros, Orlando Belém Ribeiro, Uanis Rocha Rodrigues e Walber Lima Pinto, por crimes praticados em Cururupu e Serrano do Maranhão.
Um dos condenados durante o mutirão contra a corrupção em Cururupu foi Antônio Lourenço, réu em duas ações penais. Numa delas, o ex-presidente da Câmara de Vereadores foi acusado de diversas condutas irregulares envolvendo o montante de R$ 139.546,38 (cento e trinta e nove mil, quinhentos e quarenta e seis reais e trinta e oito centavos).Considerado culpado, o ex-gestor foi condenado à pena de 5 anos e oito meses de reclusão, a ser cumprida em regime semiaberto.
Parcerias - O “Movimento contra a Corrupção” é um trabalho conjunto da Justiça estadual, Ministério Público estadual e Tribunal de Contas do Estado, com participação de juízes federais, procuradores da República, Advocacia Pública Municipal, Estadual e Federal, além de Polícia Civil e Federal. A segunda edição do evento, a primeira ocorreu em 2016, apresentou 3 dias de seminários sobre diversos temas e palestrantes e duas semanas de mutirão.
Outras ações fizeram parte do mutirão, como a realização de palestras em escolas abrangendo temas como o combate à corrupção e improbidade administrativa. Um dos exemplos é Pedreiras, que promoveu durante o mutirão um ciclo de palestras sobre combate à corrupção e noções de cidadania. As palestras aconteceram em escolas das redes pública e privada da comarca, alcançando centenas de alunos.
 
Michael Mesquita
Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

O Bailar dos Pregoeiros




                                      O Bailar dos Pregoeiros” é o mais novo trabalho da Movimentar Cia de Arte e Dança, com direção geral de Lucena Marques e direção artística de Marina Correa. Um show musical em parceria com o Projeto Nós, comestreia marcada para o mês de junho em vários arraiais e teatros da cidade, que tem como objetivo maior o de potencializar a importância histórica e cultural dos Pregoeiros, através da música, arte e da dança.
                                      O trabalho promove um tour cultural pelo Maranhão, ressaltando seus potenciais e riquezas culturais, tudo tendo os Pregoeiros como destaque. Um trabalho que vem sendo amadurecido há seis meses, com uma trajetória repleta de trocas, parcerias, estreitamento de vínculos afetivos, e construção de aprendizagem significativa, assumindo o desafio de resgatar, criar e recriar o bailar cheio de encantamento dos Pregoeiros.
                                      Entre as manifestações de danças populares maranhenses roteirizadas para esse passeio cultural estão: Divino Espírito Santo, Cacuriá, Tambor de Crioula, Dança do Lelé, Baile de São Gonçalo, Dança do Coco, e um Pot-pourri de bumba-meu-boi, inseridas no contexto teatralizado dos pregões.
                                      A valorização da cultura não fica somente na escolha da temática e dos diferentes ritmos abordados no trabalho, mas também na priorização dos consagrados cantores e grupos populares compondo o repertório que traz uma proximidade maior plateia–artista durante a apresentação. À frente da parte musical do espetáculo, estarão os músicos Zanto Holanda (voz e violão) e Daniel Nobre (voz e guitarra), integrantes da Banda Projeto Nós, fundada em 2015, os quais possuem trabalhos autorais e já tiveram participação em especiais com Zeca Baleiro, Lenine e Radiohead.
                                      Um outro diferencial do espetáculo é a proposta de trazer os bastidores para a cena. Trocas de figurinos e de elementos de cena serão mostrados como parte do espetáculo, trazendo mais vida a cada personagem. E para isso os figurinos foram pensados de maneira funcional, facilitando e tornando surpreendente cada mudança de cena.       “O Bailar dos Pregoeiros”, trará no roteiro as seguintes cenas:

CENA 01 – FREIRA DOS PREGOEIROS - Ecoam sons da minha terra, um passado histórico vivo. Os pregoeiros entram em cena (de diversas direções) vendendo seus produtos (alguns com rimas, outros em gritos expressivos);
CENA 02 – EU CANTO A MINHA TERRA - Trata-se de uma inserção do público no universo popular maranhense, com presença de figuras (personagens) característicos da terra. Coreografia Teatro-Dança;
CENA 03 – O PREGÃO DO JORNALEIRO. Declamação da poesia;
CENA 04 – VEM REINAR DIVINA LUZ - Uma saudação ao Divino Espirito Santo, O cortejo composto pela corte (Imperador, Imperatriz e pomba) caixeiras, e bandeiras do divino, farão evolução coreográfica saudando o divino;
CENA 05 – FESTA DAS CAIXEIRAS - Uma performance entre as caixeiras e a fusão do toque de caixas do Divino para o cacuriá vai tornar esse momento envolvente e dançante. É a dança do Cacuriá. O bale entra e a dança é executada em pares;
CENA 06 – SOLTA NO TAMBOR DO SOL - O som do tambor de crioula vai subindo... o instrumental chama as coreiras para cena, que entram correndo e pousam elegância. Essa cena visa expressar sonoplastia e coreograficamente a magia do tambor de crioula do maranhão. Essa cena presta homenagem a bailarina popular Ana Duarte (in memoria) fundadora do tambor do sol;
CENA 07 – VIVA SÃO GONÇALO - A cena explora a tradição e a religiosidadebaseada na manipulação de arcos cobertos de flores em homenagem a São Gonçalo. A coreografia é executada por um bailado com movimentação em duplas que entrelaçam arcos de flores em uma grande festa ao santo;
CENA 08 – PELAPORCO, DANÇA DO LELÊ - Com muita alegria e vibração o balé se separa em 2 grandes cordões e executa coreografia evidenciando os momentos que divide a dança; o Chorado (inicio da festa, o convite a dança),  a Dança Grande (coreografia diversificada, a parte mais longa), a Talavera  ( caracteriza –se pela dança de braços dados)o Cajueiro (movimentos de juntar castanha e pegar caju) e saudação aos músicos.
CENA 09 – SEGURA O PARANGOLÉ - Tradicional e contemporâneo se entrelaçam na Dança do Coco, que no arrasta-pé colocam a poeira para levantar;
CENA 10 – PREOEIRO UMBERTO - Musica Maranhão meu tesouro meu torrão declamada como um pregão;
CENA 11 – A LUZ DO PINDARÉ - Entrada dos Cazumbàs (02), com cabeças altas de Igrejas Iluminadas (representando a luz da cultura maranhense), e sinos na mão (os sinos também farão referencia aos sons dos pregoeiros muito característicos dos picolezeiros). O ritmo de toque leve e suave conduz o arrastar dos pés e o balanço dos bailarinos, em uma iluminada execução coreográfica;
CENA 12 – Franciscos Pregoeiros e mães Corinas - Os personagens Pai Francisco e Mãe Catirina do Alto receberão a configuração de pregoeiros. Pregoeiros Franciscos adentram a fazenda com variados pregões de alimentos (frutas, queijos, sorvetes, picolés, cocada, derresol, pirulitos) mães Corinas, demonstram em movimentos coreográficos o grande de comer as delicias do Maranhão;
CENA 13 – Batalhão dos Pregoeiros Viva o Pregão nosso - Os personagens do alto do bumba meu boi bailam ao som das matracas. Nessa cena evidenciam-se os elementos e personagens marco do bumba meu boi, em um grande batalhão de pregoeiros.
                                     
                                      E na discografia do show musical estarão as seguintes músicas: “Todos Cantam sua Terra”, “Canto de Luz”, “Poutporrit Jabuti e Jacaré”, “Solta do Tambor”, “Viva São Gonçalo”, “Dança Grande São Simão”, “Parangolé”, “Estrela Miúda”, “Boi da Luz” e “Mimoso”.
                     Movidos pelo orgulho de ser maranhense, e pesquisar elementos da nossa cultura que apresenta um valor histórico, nos sentimos desafiados a viver a experiência enriquecedora de pesquisar, escrever, encenar, cantar e dançar a historia dos Pregoeiros, história essa desconhecida pela nova geração”, finaliza a diretora do espetáculo Lucena Marques.

                    
COMPANHIA MOVIMENTAR
A Movimentar Cia de Arte e Dança propõe o culto ao movimento e expressão corporal em sua magnitude com o foco de utilizar a arte, cultura e movimento como qualidade de vida. Com o filosofia “Dança para Todos” busca-se treinar o corpo, a mente e o espírito, despertando o prazer de dançar, criar e se movimentar, elevando o nível da qualidade de vida do integrante, independente de parâmetros pré-estabelecidos (idade, porte físico e sexo). A companhia valoriza as diferenças e não impõe padrões físicos ou de formações em dança como pré-requisito para que todos estejam em cena mostrando seu potencial artístico.

PROJETO: NÓS
Banda Projeto Nós. Fundação em janeiro de 2015.Integrantes: Zanto Holanda (voz e violão), Daniel Nobre (voz e guitarra). Surgiu de uma união de músicos com trabalhos autorais, que não tinham banda para concretizar suas músicas. Composto por músicos com influências e gostos diferentes que buscam aproveitar as variedades de sons do vasto mundo da música. Brincando com os timbres, ritmos e gêneros buscam um resultado diferente e divertidos para suas composições. Dentre os trabalhos realizados destacam-se os Especiais Zeca Baleiro, Lenine, Radiohead.




FICHA TÉCNICA
Produção: Cia. Movimentar de Arte e Dança.
Direção: Lucena Marques
Direção Artística: Marina Corrêa
Coreografia: Criação coletiva
Figurinos: Neto Vasconcelos
Confecção de figurinos: Diva’s Ateliê



CONTATOS - CIA MOVIMENTAR
Instagram: @movimentar_slz
Telefone: (98) 98823-3223


PROJETO: NÓS
Instagram: @projettonos
Telefone: (98) 9 8217-1673



EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...