Coronel Ferreira é cidadão imperatrizense

Hoje com 70 anos, coronel Ferreira chegou em Imperatriz em 1974 para assumir a 1ª Ciretran
Coronel Ferreira com a esposa Adi
O título de cidadania ao coronel da reserva da Polícia Militar do Maranhão, José de Ribamar Castro Ferreira, foi concedido por unanimidade pela Câmara Municipal de Imperatriz na sessão desta quarta-feira (19). A honraria é indicação conjunta dos vereadores Rildo Amaral (Solidariedade) e Adhemar Freitas Júnior (PSC).
 

Coronel Ferreira, 70 anos, nasceu em São Luís no dia 28 de julho de 1948, filho de Mariano Diniz Ferreira e Albertina Castro Ferreira, os dois já falecidos. Ingressou na PM do Maranhão no dia 13 de fevereiro de 1969, após concluir o curso na academia de Fortaleza (CE).
 

Em 1972 tornou-se oficial e no dia 8 de dezembro de 1974, como segundo tenente, chega a Imperatriz para assumir a 1ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), permanecendo no cargo por treze anos, período em que obteve promoções, chegando a capitão.
 

Em 1989, retorna a Imperatriz já como major e assume cargo na administração municipal na área de segurança pública. Em 1990 volta para São Luís e assume como diretor-adjunto de Pessoal da PMMA.
 

Em 1991 entra de licença para estudar no curso de Especialização de Trânsito da Universidade Federal de Uberlândia (MG). Participou da Comissão Temática que ajudou a elaborar o novo Código de Trânsito Brasileiro. Ao término do curso, recebeu o convite da universidade para permanecer como professor convidado do Núcleo de Pesquisas do Trânsito.
 

Foi elevado à patente de tenente coronel (1993), membro da comissão de criação do Serviço Tático Aéreo do Maranhão (1994), recebe a patente de coronel (1996). 
 

Tem dois filhos, Jorge (militar) e Lincoln (economista). Casado com dona Adi, sua segunda esposa, tem uma filha adotiva, Alfeza. Tem três netos: Handel, Ana Cristina e Mariana.

Júnior Marreca: "Armação não vai barrar nossa vitória"

Júnior Marreca Filho e o pai, Júnior Marreca: substituição mantém certeza da vitória
Júnior Marreca Filho e o pai com vereadores de Imperatriz
O deputado federal Júnior Marreca (Patriota), que retirou a candidatura para sua reeleição, está visitando municípios da região para apresentar o filho Júnior Marreca Filho, seu substituto, e manter a agenda de campanha. Nesta quarta (19) esteve em Imperatriz e fez visita de cortesia à Câmara de Vereadores, onde recebeu solidariedade do grupo que apoia seu projeto político. 

O deputado teve a candidatura indeferida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) em razão de processo por improbidade administrativa quando ainda era prefeito de Itapecuru-Mirim. Segundo ele, uma nota de R$ 70 mil vinculada ao Fundo de Desenvolvimento da Educação (Fundeb), recurso usado para compra de material de limpeza, cuja prestação de contas foi aprovada pela Câmara de Vereadores - de acordo com entendimento do Supremo Tribunal Federal, quem julga prestação de contas de prefeitos são as câmaras de vereadores.
Para o deputado, "uma armação", que ele preferiu não apresentar suspeitas acerca de quem e nem de onde partiu - coordenadores de sua campanha suspeitam de candidatos de sua própria coligação,  "que queriam tirá-lo do jogo". 


O deputado poderia recorrer da decisão do MPE, mas preferiu colocar o filho para substitui-lo, em comum acordo com a direção estadual do Patriota, já que a campanha entrou na reta final.
"Recorrer a Brasília levaria pelo menos dez dias para ser julgado. Faltando 20 dias para a eleição, isso me colocaria dez dias fora de campanha, iria desmotivar todo mundo, parar com todo o processo, iria deixar de cumprir a agenda, criava uma celeuma, que é o que eles queriam, me tirar do jogo, tanto que meia dúzia de gente (candidatos) já dizia: 'Júnior não é mais candidato não, vem pra cá", relatou o deputado.
"Foi um momento muito difícil pra mim, com se fosse uma facada, e por saber de onde vinha", confessou, admitindo que foi o momento mais dramático de sua carreira política.


O deputado está otimista com a candidatura do filho: "A campanha tá pronta, montada, e será vencedora. Uma armação não vai barrar nossa vitória. Vamos cumprir nossa agenda, vamos manter nossos compromissos, não sofremos nem um tipo de perda de apoio; pelo contrário, estamos mais fortes, mais motivados e agradecidos a todos nossos apoiadores por permanecerem nesse projeto".

Jovem e político

Júnior Marreca Filho não é um neófito na política, apesar da pouca idade. Sempre acompanhou o pai nas campanhas e dessa era o coordenador-geral, baseado em Itapecuru-Mirim. Aos 26 anos, acadêmico de Direito, foi candidato a prefeito do Município em 2014, sendo o segundo colocado.
 

"Vamos manter a campanha no mesmo ritmo de crescimento, Vamos manter nossos compromissos. Saimos mais fortes de tudo isso, estamos com vontade redobrada e vamos vencer, não tenho dúvidas", declarou durante encontro com vereadores de Imperatriz.
 

"Foi um contratempo, que poderia ser revertido em Brasília, pois as contas de meu pai foram aprovadas pela Câmara de Vereadores. Mas levaria tempo e corríamos o risco de ele ser candidato sub judice, além de perdemos tempo nessa reta final da campanha", disse.
 

"Porém, não foi só uma substituição, tenho consciência de minha missão e estou preparado para ela. A mim, me honra muito substituir meu pai, que será meu conselheiro e maior assessor na Câmara dos Deputados", afirmou.
 

Júnior Marreca Filho concorrerá com o mesmo número usado por seu pai, o 5122. (Por Carlos Gaby)

Flávio Dino: garantir direitos à população

O cumprimento à Emenda Constitucional Nº 80 foi um dos pontos de destaque da segunda noite do Diálogo com Candidatos (as), que recebeu o atual governador e candidato à reeleição, Flávio Dino (PCdoB). O evento é promovido pela Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Maranhão (Adpema), em parceria com a Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE/MA) e a Faculdade Estácio.
Durante sua apresentação, Flávio Dino ressaltou a importância de garantir direitos à população, principalmente à educação, como estratégia de combate à desigualdade. Na ocasião, o candidato destacou programas realizados durante o seu governo como o Cidadão do Mundo e o Escola Digna e lembrou que o Maranhão subiu posições no ranking de qualidade do Ensino Médio no Brasil, passando da 22ª posição para o 13º lugar.
O candidato à reeleição abordou ainda o investimento que tem sido feito para garantir o acesso à Justiça a todos os cidadãos. “No que se refere especificamente ao caminho jurídico formal, tenho me esforçado muito para ampliar as instituições do estado. Já foram nomeamos no nosso governo 64 defensores públicos. Queremos dar condições a dpe para nomear mais seis neste ano, totalizando 70. E, no próximo ano, vamos continuar esse processo de expansão das instituições que são importantes também para que a população tenha amplo acesso a direitos”, declarou.
Questionado pelo público, o candidato abordou também o cumprimento à Emenda Constitucional Nº 80, que dispõe que a União, os Estados e o Distrito Federal deverão contar com defensores públicos em todas as unidades jurisdicionais no prazo de oito anos. “Como governador, vou cumprir a Constituição e vamos colocar um defensor em cada comarca até 2022, quando, se Deus quiser, acabará o meu segundo mandato”, disse Flávio Dino.
Cerca de 400 pessoas participaram do evento, entre acadêmicos, professores, defensores públicos e representantes da sociedade civil. A participação do candidato foi acompanhada pelo defensor-geral do Estado, Alberto Pessoa Bastos, o subdefensor-geral Gabriel Furtado e o professor Geraldo Siqueira, diretor geral da Faculdade Estácio de São Luís, além do presidente da Adpema, Murilo Guazzelli.

Bebé Taxista: "Cadê o dinheiro do aterro sanitário?"

Vereador Bebé Taxista: recurso seria supostamemte para construir o aterro sanitário
O vereador do Patriota cobrou do prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, durante pronunciamento na sessão desta quinta-feira (13), informações sobre o repasse de R$ 21 milhões do Ministério do Meio Ambiente para construção do aterro sanitário da cidade e a desativação do lixão municipal.

Esta foi a principal arma de pressão do prefeito e seus aliados na Câmara Municipal para que a casa aprovasse em regime de urgência a chamada Lei dos Resíduos Sólidos, supostamente para não perder o recurso que já estaria garantido no Ministério do Meio Ambiente.
 

A Lei de Resíduos Sólidos é a base do Plano Municipal de Gestão de Resíduos Sólidos e  etapa obrigatória estabelecida na lei 12.305, de 2010, que criou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).  Segundo a lei, os municípios devem criar o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), que é o planejamento que um município faz para um cenário de 20 anos com revisões pelo menos a cada 4 anos sobre a gestão e o gerenciamento de resíduos sólidos que o município pretende realizar. Sem o Plano Municipal dos Resíduos Sólidos, os municípios estão impedidos de receber recursos federais destinados às suas políticas de recolhimento, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos produzidos por residências e empresas.
 

A lei foi aprovada no dia 27 de junho por 13 votos a favor, 7 contra e uma ausência. Porém, o Plenário rejeitou através de emenda modificativa o trecho que tratava da criação de taxa sobre o recolhimento do lixo em Imperatriz.

"Cadê o dinheiro?"

O vereador Bebé Taxista disse que a Câmara Municipal atuou de forma responsável na votação da lei, esperando o benefício para o Município. 


"Mas até agora não sabemos sobre esse dinheiro todo. São R$ 21 milhões. Cadê esse dinheiro? Precisamos saber sobre essa informação para podermos fiscalizar a aplicação desse recurso", questionou o vereador.

Presidente da Câmara quer registro da fundação da União Artística e Operária de Imperatriz

Entidade foi homenageada pela Câmara Municipal com uma Moção de Aplausos
Texto: Carlos Gaby/Assimp
Foto: Arquivo/Fábio Barbosa/Assimp


Indicação do presidente da Câmara Municipal, José Carlos Soares, foi aprovada por unanimidade pelo Plenário na sessão desta quarta-feira (12), solicitando ao prefeito Assis Ramos e ao secretário de Infraestrutura, Assis Pinheiro, autorização para colocação de duas placas registrando a fundação da União Artística, Operária e Agrícola de Imperatriz, na Praça da União. A entidade é a mais antiga representante dos trabalhadores imperatrizenses.
 

"Cuido de preservar nossa história, a história de nossa gente. Com esse gesto queremos perpetuar a fundação dessa entidade, a primeira a representar nossos trabalhadores, gente simples de nossa cidade que com seu esforço ajudou a consolidar nosso crescimento e desenvolvimento, em cuja época se abriam os primeiros caminhos para alcançarmos o que somos hoje, uma cidade forte, desenvolvimentista, a segunda capital do Maranhão", justificou o presidente.   
 

A União Artística, Operária e Agrícola de Imperatriz foi criada em 19 de outubro de 1958 e está completando 60 anos de fundação. Também por iniciativa do presidente José Carlos, recebeu Moção de Aplausos da Câmara Municipal.

História
A entidade representativa dos trabalhadores mais antiga de Imperatriz, hoje conta com apenas 18 filiados. Com sede no Bacuri, a entidade funcionou durante décadas no bairro da União. Congregava várias classes de trabalhadores: estivadores (chamados à época de arrumadores), pintores, pedreiros, carpinteiros, carroceiros, oleiros. Tinha cooperativa agrícola para compra de alimentos não perecíveis, fundo de pequenos empréstimos aos associados, gabinete dentário e fornecia passagens para viagens de tratamento de saúde.
 

Abaixo, um pequeno registro do jornalista e escritor, membro da Academia Imperatrizense de Letras, Domingos Cézar Ribeiro, sobre a fundação da entidade:
 

"Em dezembro de 1958 um grupo de trabalhadores sob a liderança do mestre de obras Cosmo de Sousa se reuniu e fundou a União Artística, Operária e Agrícola de Imperatriz, a qual seria uma das primeiras entidades civis criadas na cidade. Como ele era o braço forte da administração do prefeito Simplício Moreira, em meados da década de 50, o prefeito lhe presenteara uma extensa área no final das ruas do Fio, hoje Dom Pedro II e Teresa Cristina.
 

Com a fundação da União, Seu Cosmo, como também era conhecido, decidiu doar parte da área para a entidade. Desta forma, a pequena sede foi construída na confluência da Rua Benedito com a Rua Teresa Cristina, proporcionando uma área de lazer aos seus filiados.
 

A União Artística, Operária e Agrícola de Imperatriz – como o nome já revela – tinha no seu quadro de filiados, pedreiros, serventes de pedreiros, oleiros, carroceiros, pequenos agricultores, pessoas de profissões humildes que viviam à margem da elite da cidade.
 

A partir da sede, já no mandato do também mestre de obras, Luís Farias, surgiu a ideia de se formar um time para competir com o Imperatriz, Renner, Comercial e GBS (Ginásio Bernardo Sayão), times que disputavam o campeonato local antes da criação da Liga de Futebol.
 

Em meados do mês de maio de 1964, filiados da entidade e jovens jogadores do time, munidos de foice e facão, limparam o matagal ali existente criando o campo de futebol, onde, a partir de então, o time treinava sob o comando do técnico João Baiano.
 

João Baiano era oleiro e torcedor fanático do Santos, time de Pelé. Comandou por muitos anos o time que foi extinto no final da década de 70, quando a sede foi derrubada e o campo desapropriado para a construção da Praça da União, por determinação do prefeito Carlos Amorim".

Alunos da Faculdade Vale do Aço participam de atividades na Fecoimp

Uma turma de aproximadamente 30 alunos de quatro cursos da Faculdade do Vale do Aço (Favale), de Açailândia, participam de atividades extra-classe na Feira do Comércio e Indústria de Imperatriz (Fecoimp) nesta quinta-feira (13). A 18ª edição da feira acontece no Centro de Convenções de Imperatriz.

A turma é orientada pelo professor Gilvan Dias e formada por alunos dos cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Administração e Agronegócio.
 

Entre as atividades, assistem a palestra "A nova economia: empresas 4.0, inovação e alta competitividade", ministrada por Josiano Cesar, do Sebrae de Imperatriz, e visitam estandes de empresas de tecnologia.
 

"São atividades que podem fazer essa ponte entre a teoria e a prática, importante para os alunos e o aperfeiçoamento dos conhecimentos obtidos em sala de aula", explica o professor Gilvan.

Weverton 123 intensifica campanha em todo o Maranhão


Prefeito em exercício de Açailândia, Aluísio, candidatos a deputado Simplício Araújo (federal) e Sérgio Vieira (estadual) e o vereador de Imperatriz, Alberto Sousa, apoiam Weverton para o Senado

Inauguração do comitê suprapartidário pró-Weverton em Açailândia
Apoiadores e eleitores de Weverton prestigiam ato de campanha do candidato em Açailândia
Apoiadores e correligionários de Weverton Rocha intensificaram nos últimos dias os atos de campanha do candidato ao Senado pelo PDT com o número 123. Weverton, deputado federal e presidente do partido no Maranhão, é um dos candidatos do governador Flávio Dino - líder nas pesquisas à reeleição - para uma das duas vagas para senador.
 

Na noite da última terça (11), em Açailândia, o vereador Alberto Sousa, presidente do PDT de Imperatriz, participou da inauguração do comitê dos candidatos a deputado federal, Simplício Araújo, e estadual, Sérgio Vieira. No ato, várias lideranças locais e da região estiveram presentes, entre eles o anfitrião, prefeito em exercício de Açailândia, Aluísio, levando os nomes dos candidatos ao Senado Weverton 123, governador Flávio Dino 65, Presidente Ciro Gomes 12.
 

Em Ribamar Fiquene, o prefeito Edilomar Miranda e apoiadores de Weverton participaram de outro grande ato na inauguração do comitê de campanha do candidato.
 

O vereador Alberto Sousa é um dos coordenadores do núcleo que coordena a campanha do candidato em 23 municípios nesta região do Estado.
 

Na sessão desta quarta-feira (12) da Câmara Municipal de Imperatriz, Alberto Sousa comemorou o crescimento da candidatura de Weverton: "Agora o jogo começou. Nosso candidato vem crescendo satisfatoriamente, o que nos dá a certeza de que disputará para ganhar uma das vagas ao Senado. Estamos juntos rumo à vitória com Weverton 123, Flávio Dino 65 e Ciro 12".

Coronel Ferreira é cidadão imperatrizense

Hoje com 70 anos, coronel Ferreira chegou em Imperatriz em 1974 para assumir a 1ª Ciretran Coronel Ferreira com a esposa Adi O títu...