STJ delimita provas para embriaguez e enfraquece Lei Seca

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu nesta quarta-feira que somente o bafômetro e o exame de sangue podem atestar a embriaguez do motorista e excluiu provas testemunhais ou exame médico.

Com essa decisão, a Lei Seca fica esvaziada, uma vez que o motorista não é obrigado a produzir provas contra si e pode recusar os exames aceitos pelo STJ. Assim, a comprovação de embriaguez pode ficar inviabilizada. Foram cinco votos contra novas provas, e quatro a favor.

O desembargador convocado Adilson Macabu conduziu o voto vencedor. "O Poder Executivo editou decreto e, para os fins criminais, há apenas o bafômetro e exame de sangue. Não se admite critérios subjetivos", disse. "Mais de 150 milhões de pessoas não podem ser simplesmente processados por causa de uma mera suspeita", completou.

No mesmo sentido, o ministro Og Fernandes foi incisivo. "Não é crime dirigir sob efeito de álcool. É crime dirigir sob efeito de mais de um mínimo de seis decigramas de álcool por litro de sangue". É extremamente tormentoso deparar-se com essa falha legislativa, mas o juiz está sujeito à lei", afirmou.

A lei determina que é crime dirigir com uma quantidade de álcool acima de seis decigramas por litro de sangue, o que só pode ser atestado por exame de sangue ou bafômetro, segundo decreto do governo federal.

Por isso, o STJ entendeu que uma testemunha não pode atestar, cientificamente, a quantidade de álcool no sangue.

Ficou vencido o relator, ministro Marco Aurélio Belizze, que disse que a lei não pode ser interpretada em sentido "puramente gramatical".

Para ele, uma testemunha ou exame médico é suficiente para os casos "evidentes", quando os sintomas demonstram que a quantidade de álcool está acima da permitida.

"Não pode ser tolerado que o infrator, com garrafa de bebida alcoólica no carro, bafo e cambaleando, não possa ser preso porque recusou o bafômetro", disse.

A 'prefeiturável' Mara La-Rocque

Com a pré-candidatura da ex-secretária de saúde do Município, Rosângela Curado, do Democratas, nas ruas, agora são duas mulheres na corrida pré-eleitoral. A cerimonialista Mara La-Rocque sinaliza a possibilidade de levar seu nome à apreciação do PP, partido aliado do prefeito Madeira – Neto da Ampere, presidente do Diretório Municipal, é secretário de Esportes no governo tucano.

A todos, entretanto, que perguntam se é pré-candidata, Mara sai pela tangente: nem confirma, nem desmente, “o que abre um canal de possibilidades”, segundo suas palavras em contato via Facebook com a coluna.

“Quanto ao partido, mesmo fazendo parte do governo municipal, como outros ‘pês’, ou seja, PDT, PSB, PPS, e por aí afora, estão se lançando, por que então o PP seria diferente?”, questiona, lançando um desafio à direção municipal do partido e aos correligionários.

Mara aposta no voto feminino e quer sentir a repercussão do lançamento de seu nome junto ao eleitorado. Cita a lei de cotas da reforma eleitoral, que assegura obrigatoriamente 30% das candidaturas às mulheres.

“Represento a maioria da população e obrigatoriamente nesta eleição, segundo a mini-reforma política, não poderão [os partidos] deixar de ter 30% de mulheres inscritas. Se por acaso isso não ocorrer, ninguém poderá registrar candidatura alguma”, interpreta ela. “Agora os partidos irão nos estender o tapete vermelho”, brinca.

Divagações à parte, o eleitorado feminino é um filão considerável (as mulheres são a maioria da população brasileira). Em Imperatriz, nomes sérios e competentes estarão em julgamento popular, em outubro, na eleição para a Câmara de Vereadores. Uma ótima oportunidade de sacramentar a presença feminina no Legislativo municipal. Então, por quê não viabilizar candidaturas majoritárias, sonha a inquieta Mara La-Rocque.

Ex-anfitriã destacada do falecido governador Jackson Lago, Mara hoje alfineta o PDT. “Esse PDT que aí está não corresponde ao meu objetivo político, entende?”.   

Pra valer ou não, a pré-candidatura de Mara quebra o marasmo desse início de pré-campanha, no qual as coisas mudam entre uma refeição e outra, e os boatos deslizam rápidos nas rodadas políticas e no mundo virtual.

Mas aqui cabe uma pergunta: o PP apostaria mesmo suas fichas num eventual rompimento com o prefeito para lançar numa aventura com candidatura própria, ou Mara é mais um nome no mural dos pretensos pré-candidatos a vice de Madeira? No momento, tudo vale. Quem não chora, não mama.

***

Agora é chumbo



O PDT pró-Madeira aponta sua artilharia contra o deputado estadual Carlinhos Amorim, desde que ele confirmou sua pré-candidatura a prefeito.

“Todo mundo que tem noções básicas de política sabe disso, o resto é proselitismo político de baixo nível. A postura de Carlinhos prejudica os novos pretendentes ao Legislativo [municipal] e até mesmo aos vereadores com mandato, não tem outra saída: ou estes pré-candidatos a vereador se organizam e tomam a direção do processo eleitoral municipal ou perderão a chance de terem candidaturas minimamente viáveis”, declarou a um blog local o jornalista Josué Moura, “um dos que abertamente é contra a tese de candidatura própria no PDT” imperatrizense.

“Acredito que os interesses políticos que deveriam prevalecer no PDT em Imperatriz seriam os dos pré-candidatos a vereador, pois se trata de eleição municipal e não o de Carlinhos Amorim, que não é candidato a nada nas eleições deste ano, todo mundo sabe disso”, atacou o jornalista.

Carlinhos está achando ótimo tudo isso, ganha espaço e projeção na mídia sem reponder a nenhuma das críticas.

Publicado originalmente em Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com), Coluna do Carlos Gaby, P2, edição desta quinta-feira, 22 de março de 2012.

Tempos de indefinição

A indefinição quanto a uma pré-candidatura de consenso da base aliada da governadora Roseana Sarney é o principal entrave até agora para a formatação política da estratégia dos adversários do prefeito Sebastião Madeira alojados nas grandes siglas, como PMDB e Democratas. Ainda favorito à reeleição, mas com grande desgaste e sérios problemas para resolver principalmente na saúde e infra-estrutura, Madeira torce para que a decisão se prolongue até que a tensão ameace romper a aliança governista, que hoje é frágil. Assim ele ganha tempo, e a confusão se encarrega de embaralhar a cabeça do eleitor.

Após três reuniões, o nome do ex-prefeito Ildon Marques é ainda o preferido do comando estadual do PMDB, embora, dentro da aliança, existam focos de resistência, posição que agrada o atual prefeito. Sem Ildon na disputa, Madeira acredita vencer facilmente e quebrar o tabu da reeleição.

O jogo continua muito confuso, com avanços e recuos.

No chamado campo da esquerda, pelo menos quatro partidos parecem ter fechado questão em torno de suas pré-candidaturas, e agora trabalham para uma unidade, que também esbarra em turbulências, seja de ordem partidária ou pessoal. PT, PCdoB, PDT e PPS mantêm posições firmes, e ameaçam sair sozinhos com candidaturas próprias, pois na arredam pé da cabeça-de-chapa no pleito majoritário.

Todos os pré-candidatos trabalham com dois cenários: com ou sem Ildon na disputa. Com um patrimônio eleitoral sedimentado e um grupo político fiel, de volta aos holofotes da sucessão, o ex-prefeito está convicto de que pode vencer a disputa. Se não vingar sua candidatura, para o lado que pender pode definir a eleição.

Quem mais sonha com essa segunda hipótese, é o deputado estadual Carlinhos Amorim (PDT), que, nesse caso, projeta arrebanhar votos do eleitorado descontente com Madeira e ser apoiado por parte dos seguidores e eleitores de Ildon. Carlinhos não cogita qualquer possibilidade que não seja a de encabeçar uma das chapas da oposição. Lembra que é veterano na política, com quatro mandatos de vereador, duas disputas perdidas (para deputado e prefeito) e a eleição para a Assembléia Legislativa, em 2010. Como já aconteceu com Madeira (sobre quem diz que mesmo antes de entrar na política, já era vereador), Carlinhos alimenta a obsessão política de um dia governar sua cidade natal, a mesma que o pai, o médico Carlos Amorim, governou por seis anos, tornando-se uma das referências entre os mandatários do Palácio Renato Moreira.

Independente do tempo, e seja como for, a única candidatura certa até o momento é a do atual prefeito, por razões lógicas e óbvias, que todo mundo sabe. Todavia, para o PMDB histórico daqui e comando estadual, Ildon vai disputar a eleição como única alternativa para bater Madeira nas urnas.

***

Atrás de patrocínio



Depois de fechar com o banco BMG, a diretoria do Cavalo de Aço corre atrás de outro patrocínio. Quer uma das estatais ligadas ao Ministério das Minas e Energia patrocinando o time.

Na última sexta, 16, o presidente Edivaldo Cardoso, acompanhado do advogado Antonio Tores, conversou rapidamente com o ministro Edison Lobão – encontro intermediado pelo deputado federal Chiquinho Escórcio –, para encaminhar o pedido.

O ministro não prometeu nada. Disse que os patrocínios foram todos cortados. O único, segundo Lobão, que continua valendo é o com o Vasco, fechado a pedido do então presidente Lula.

“Vou ver o quê posso fazer”, avisou o ministro. Mas recomendou: “Fiquem colados no Chiquinho. Cobrem dele”.

Publicado originalmente em Correio Popular, edição desta terça, 20 de março de 2012 

PSD lá e acolá

O presidente da Câmara de Vereadores, Hamilton Miranda, sabe mexer os pauzinhos. Ao convencer o ministro Edison Lobão a participar do encontro regional de seu partido, o PSD, na tarde de quinta, 15, em Imperatriz, colocou-se como mais uma opção na lista de pré-candidatos à sucessão do prefeito Sebastião Madeira. Foi forte no discurso, como requer o protocolo nessas ocasiões em que aliados e gente graúda da política local estão no “palanque” dos privilegiados.

Jogo de cena. Foi o que a maioria dos jornalistas que cobrem a Câmara entendeu. Ao apresentar-se como mais um na mesa de negociações, Hamilton na verdade mede a distância para viabilizar-se como vice de Madeira, e, em caso de vitória do tucano, aí sim, projetar-se como candidato natural à Prefeitura em 2016.

Ocorre que o jogo é jogado de cima para baixo, e Hamilton sabe que o momento é delicado. Lobão aposta na candidatura Ildon Marques (PMDB) e quer o PSD (partido do qual sua esposa, deputada federal Nice Lobão, é presidente estadual) no time dos aliados do ex-prefeito. Nesse caso, Hamilton estaria muito distante de uma chapa majoritária, e teria que adiar o projeto, priorizando sua reeleição ao Legislativo Municipal.

Dizem que Hamilton é o “vice de plantão”, e o PSD “a noiva oferecida”.

Em seu discurso, tentando demonstrar confiança, Hamilton disse há necessidade de “mais opções para Imperatriz”, numa alusão à polarização que a pré-campanha desenha com Ildon e Madeira.

“Não sou de montar só quando o cavalo passa selado. Monto também em cavalo bravo, e sei dominar o animal. Não tenho de desafios. Vou chegar na Prefeitura de Imperatriz”, bradou, batendo forte na Tribuna. Frase de efeito.

Hamilton também brincou com os concorrentes, que estavam na mesa das autoridades. “Madeira, Ildon, o PSD está à disposição para começarmos”. Queria dizer que não abre mão da candidatura própria.

Como se vê, o PSD procura os holofotes, porque sabe que é apenas um mero coadjuvante, até agora, na disputa. Para Madeira, seria ótimo o apoio do presidente da Câmara, mas ele desejaria mesmo ter Hamilton como seu vice? Há dúvidas, para dizer certezas.

De qualquer modo, Hamilton marcou posição ao ‘oferecer’ uma plateia de deputados, prefeitos e ex-prefeitos, vereadores e lideranças de vários municípios da região tocantina ao ministro Lobão, pré-candidato ao Governo do Maranhão. Com o gesto, espera não ser esquecido na hora da decisão, isso quando julho chegar.

***
Feitos e efeitos

“Como está na Bíblia, ‘Tu o dizes’”. Resposta de Lobão a um repórter de tv quando perguntado se era pré-candidato ao Governo do Estado.

“Lobão é o homem que o Maranhão precisa. Ele é um craque. Tenho até medo de chegar perto de Vossa Excelência, pra não pegar choque”. Deputado federal Chqiuinho Escórcio, elogiando o ministro por sua atuação nas Minas e Energia e levantando a bola, nas entrelinhas, da candidatura de Lobão à sucessão de Roseana. 

“O Hamilton tem capacidade de agregar. O PSD inicia uma caminhada para fazer história em Imperatriz”. Prefeito Madeira, tentando amaciar o ego do presidente da Câmara.

“Que cada candidatura do PSD possa ter sucesso. O Democratas está aberto a qualquer composição com o PSD”. Deputado estadual Antonio Pereira, jogando lenha na fogueira.

Publicado originalmente na coluna do Carlos Gaby, P2, do jornal Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com), edição de sábado, 17 de março de 2012

A escolha mais difícil

Vereador é o fiscal dos recursos públicos e dos atos de um gestor, e o legislador mais próximo do cidadão. Seu contato com o eleitor é direto, antes e depois de eleito. Por isso, em tese, deveria ser o mais respeitado, prestigiado e elogiado membro dos parlamentos do País. Infelizmente, não é isso que ocorre, pelos motivos que estamos cansados de saber. A maioria, comprovadamente, nos municípios brasileiros, só pensa em ajeitar-se e ajeitar apadrinhados, viver aos pés do prefeito, pensar projetos nada interessantes ou inovadores, e praticar a política do clientelismo e das promessas vazias. Raras são as exceções. Bastar ver os exemplos.

Evoluímos muito, mas quase ainda não saímos do lugar. Vá a uma sessão da Câmara Municipal para testemunhar o marasmo. Votações inócuas, indicações pedindo asfaltamento, piçarramento e iluminação de ruas que o Executivo Municipal nunca vai atender, debates frios, pouca criatividade. Até mesmo a velha eloquência dos tribunos, é lembrança perdida no tempo.

Eleição de vereador é a mais difícil numa disputa eleitoral. Cada voto é disputado corpo a corpo, como uma batalha de dois contendores apenas, o candidato e o eleitor. É um voto muito pessoal, por razões diversas, seja por um favor material, por amizade ou simpatia, por indicação de um conhecido. Poucas vezes, por ideologia ou pelas propostas do candidato.

Este ano teremos uma eleição mais acirrada ainda, em Imperatriz. Serão mais oito vagas em jogo – as vagas sobem de 13 para 21.

Na eleição de 2008, foram 155 candidatos. Este ano, o número de postulantes passa com folga das duas centenas. Devemos ter, por baixo, quase duas dezenas de partidos, muito deles que nem conhecemos. É uma guerra de combate intenso, sem tréguas.

Dos atuais detentores de mandato, a maioria acredita numa reeleição. Difícil prever. Certamente já largam na frente dos que, pela primeira vez – ou que ainda não tiveram o sabor da vitória – disputam o pleito.

É uma oportunidade de renovação. Esperamos que não só de nomes, mas de mentalidade, de atitude, de perfil, de respeito às práticas da ética e ao cidadão.

As pessoas não vivem no Estado, uma figura administrativa e jurídica. As pessoas vivem nas cidades. É nas cidades que as pessoas alimentam e realizam seus sonhos, lutam, criam seus filhos. Portanto, é nas cidades que estão suas vitórias, suas derrotas, seu passado, presente e futuro, seus problemas, e suas alegrias.

O vereador, também cidadão, é o eco da satisfação ou insatisfação do cidadão. Pelo menos na teoria inocente nossa de cada dia.

Estamos em uma via de mudanças, crescimento e desenvolvimento, e devemos ter uma participação pró-ativa e afirmativa nesse processo de renovação. Aqui vai gancho para a participação da mulher nessa engrenagem toda. Já tivemos em Imperatriz, mulher presidente da Câmara, já tivemos legislaturas com três ou quatro representantes mulheres. A lei diz que cada partido deve reservar 30% das vagas de candidatos a vereador para as mulheres. A maioria não preenche essas vagas, e, preenchendo totalmente ou não, sempre usam suas candidatas para amealharem seus votinhos e jogá-los na legenda ou coligação, para favorecer candidatos homens. Vereador bom independe do gênero.

Com o amadurecimento da democracia e da opinião pública, a vigilância dos meios de comunicação, o fortalecimento das entidades da sociedade civil organizada e dos direitos humanos e das minorias, e das várias instâncias do Judiciário e do Ministério Público, o mínimo que o eleitor deve fazer é refletir duas vezes antes de decidir-se sobre seu candidato. O que está em jogo não é o estado de sua rua, o emprego do parente ou amigo, o favorecimento pessoal, mas o futuro de sua cidade, de um projeto em que a educação, a saúde pública, a qualidade de vida, o emprego, o meio ambiente e a segurança sejam realmente prioridades, em leis e na cobrança, no cumprimento e na fiscalização dessas leis.

Devemos refletir para escolher bem nossos vereadores, mesmo que depois nos decepcionemos (a democracia só funciona com a alternância e renovação de poder). O mais importante é termos a consciência tranquila, a decência de que escolhemos nossos representantes na Câmara Municipal pensando na cidade, na nossa cidade.

Publicado originalmente em Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com), edição de quinta-feira, 15/03/2012

FIQUE DE OLHO - Recursos para Imperatriz

O objetivo da divulgação desses dados é ampliar a transparência pública e estimular a participação e o controle social.

Os dados dos convênios aqui relacionados foram extraídos do SIAFI, no dia 12/03/2012. Caso deseje saber o total liberado, consulte o detalhamento do convênio no Portal da Transparência (www.portaldatransparencia.gov.br).

Os convênios do município de IMPERATRIZ/MA que receberam seu último repasse no período de 06/03/2012 a 12/03/2012 estão relacionados abaixo:

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 659644

Objeto: APOIO A PROJETOS DE INFRAESTRUTURA TURISTICA

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$3.412.500,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$88.383,75

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 647638

Objeto: PAVIMENTAÇÃO E MELHORIA DE VIAS URBANAS

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$487.500,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$54.777,86

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 647575

Objeto: MODERNIZAÇÃO E ADEQUAÇÃO DE AVENIDA

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$390.000,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$42.215,40

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 647669

Objeto: PAVIMENTAÇÃO DE VIAS URBANAS

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$838.500,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$46.788,30

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 715040

Objeto: Implantação de Infraestrutura Urbanistica no bairro Santa Inês em Imperatriz - Ma.

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$975.000,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$14.917,50

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 738784

Objeto: Pavimentação e Implantação de Sinalização Turistica na rua Raimundo de Moraes no bairro Bom Sucesso no municipio de Imperatriz - Ma.

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$682.500,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$10.305,75

--------------------------------------------------------------------------------

Número Convênio: 723709

Objeto: Pavimentação e Implantação de Sinalização Turistica na rua Bandeirantes no bairro Vila Nova em Imperatriz - Ma.

Órgão Superior: MINISTERIO DO TURISMO

Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ

Valor Total: R$487.500,00

Data da Última Liberação: 09/03/2012

Valor da Última Liberação: R$1.608,75

Cerco do Disque-Crack

Neste final de semana, mais um mototaxista foi preso com crack. É a terceira prisão em uma semana. Nem a Polícia, nem o Sindicato dos Mototaxistas, divulgaram números de prisões por esse tipo de crime nos últimos anos, mas são inúmeras as ocorrências envolvendo mototaxistas com o tráfico de drogas. Uma atividade criminosa rentável, que tem se infiltrado no meio de profissionais corretos e honestos como um dos braços do crime organizado.

Em declaração à imprensa, o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Francisco Aragão, acertou no alvo: “Não podemos de maneira alguma admitir que alguns ‘gatos pingados’ possam ficar denegrindo a imagem de uma classe em que a maioria absoluta é de pessoas honestas e acima de quaisquer suspeitas”.

Correta a posição do Sindicato e da maioria esmagadora dos mototaxistas em denunciar esse tipo de crime, e cobrar a cassação de alvarás de quem se envolve com o tráfico. Há que se preservar a imagem desses profissionais, que trabalham duro, sol a pino, e na perigosa madrugada, para sustentar suas famílias.

A crack é a mais devastadora droga ao alcance de usuários de todas as classes sociais. Tem destruído vidas e famílias como um flagelo universal, das grandes metrópoles às pequenas cidades do interior. É a preferida de jovens usuários, concorrendo com a maconha. Destrói a personalidade, aliena, cria guetos de mortos-vivos, transforma o corpo em trapos, e os efeitos no cérebro são irreversíveis. Uma tragédia que desafia governos, especialistas em segurança e autoridades médicas.

Na linha do crime organizado, as armas alimentam o tráfico, e o tráfico, a corrupção nos altos escalões do poder.

No meio desse inferno, os governos impotentes. Combater o tráfico, lá em sua origem, é o que fazem, mas sem sucesso. E o dependente químico, a mercê de todo tipo de discriminação, à margem de programas que deveriam ser oferecidos, presos ao círculo de se drogar para manter o vício, e de alimentar o vício para se manter drogado.

Com raras exceções, as políticas de recuperação e ressocialização dos dependentes não existem ou não funcionam. Quem mais tem contribuído para enfrentar o problema, são as igrejas, ONG´s e parceiros da sociedade civil. Nada mais além disso.

Em Imperatriz, não se tem estatísticas sobre o número, pelo menos aproximado, de dependentes. Mas o que se vê e o que se ouve, é de assustar. Em âmbito municipal, apenas o acompanhamento psicossocial nos Caps, os Centros de Acompanhamento Psicossocial.    

Combater o tráfico, com leis duras, mas sem esquecer de que o usuário é uma vítima e não um lixo da sociedade. Temos que repensar tudo, principalmente um novo modelo para a família.




PMDB oficializa pré-candidatos

Na primeira reunião do ano, na noite de quinta, com seus filiados, o diretório municipal do PMDB oficializou os nomes de seus pré-candidatos a prefeito e vereador, em debate inflamado que deixou claro a determinação de seus membros de apoiar alianças com outras siglas desde que o partido lidere a frente com candidato próprio ao Palácio Renato Moreira.

O presidente Antonio Leite fez um relato das duas reuniões das quais participou com representantes de mais dez outros partidos, lembrando a tradição democrática do partido de sentar à mesa de negociações com aliados históricos.

“Ouvimos muito. Temos que ir com calma. Temos que lembrar que o PMDB é o partido da governadora, de deputados estaduais, federais e de senadores. E qualquer erro nosso vai refletir lá em cima. Por isso, o momento é de reflexão, de calma, para que tomemos a decisão”, discursou o presidente.

Segundo Antonio Leite, os líderes estaduais do partido garantiram que o diretório municipal tem total autonomia para tomar a decisão que ache certa – ou seja, lançar candidato próprio e buscar aliados, ou mesmo fazer aliança em que possa participar na chapa majoritária sem encabeçá-la (essa hipótese, no caso do ex-prefeito Ildon Marques não entrar na disputa).

O diretório municipal confirmou que pelo menos 38 membros já confirmaram a vontade de disputar a eleição para vereador. A lista não está fechada e pode sofrer alterações antes da convenção.

O partido tem três pré-candidatos a prefeito: Ildon, o presidente Antonio Leite, e o vice-presidente do diretório, Roberto Cassimiro Dias. Roberto disse que pretende ir à convenção na hipótese de o ex-prefeito ficar fora do páreo, mas anunciou também que retira o nome para apoiar Ildon caso este seja candidato.

Para muitos filiados, só Ildon tem condições de disputar o pleito para vencer. Entretanto, há forte simpatia pelo nome de Antonio Leite.

“Sou um soldado do partido, e estou pronto para a luta. Mas quero dizer que não quero nem favorecer, nem atrapalhar ninguém. Nossa decisão será democrática, a partir da consulta com todos os membros”, ratificou Antonio Leite.

O partido vai unificar uma agenda fixa de reuniões para debater e se preparar fortemente com vistas à eleição de outubro. Para a próxima sexta-feira, novo encontro está marcado. Antes disso, Antonio Leite confirmou que participa de nova rodada de conversações com partidos da base aliada da governadora Roseana Sarney.

Em tempo: na quinta, também, mais de 40 jovens viajaram para São Luís, onde participaram ontem do encontro estadual da Juventude do PMDB.

***

Golpe nos pequenos



Imperatriz é um forte polo regional do ramo de confecções, gerando emprego e renda para centenas de trabalhadores e recolhendo impostos aos cofres municipais.

Pois não é que a Prefeitura resolveu fechar os olhos para essa realidade. Permitiu que empresas de outros estados participassem da licitação para fornecimento de fardamento escolar.

Resultado: uma empresa do Piauí venceu o processo licitatório de cerca de R$ 2 milhões, e nossos pequenos empreendedores estão chupando o dedo até agora.

Outra de lascar: por causa de casos isolados, em que ficou comprovado uso inadequado do dinheiro para compra da merenda escolar, a Prefeitura resolveu mudar a modalidade da compra e retirou das diretoras das escolas, escolhidas para o cargo por eleição direta e fiscalizadas pelos Conselhos Escolares, para entregar a “tarefa” a poucas empresas, prejudicando dezenas e dezenas de pequenos comerciantes, donos de mercearias e mercadinhos, e até feirantes.

Era o único recurso público que chegava aos bairros. Agora, poucos comem, há denúncias de má qualidade da merenda, e o dinheiro sumiu da periferia.  
Publicado originalmente em Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com), edição de 10/03/2012

Questão de respeito


Respeito é a palavra, o sentimento, que o mundo deve às mulheres. Com respeito vem o reconhecimento e a igualdade; com a igualdade, a harmonia. De tudo que se tem falado, se tem lutado, essa é a chave da questão. Uma questão de respeito.

Quantas vezes fomos injustos, indiferentes, arrogantes e desrespeitosos com elas. Chegou o momento do reconhecimento.

Trabalhar, procriar, criar, entender, suportar, consolar, amar. E depois de tudo, ainda sentar-se no canto e esperar por um gesto de reconhecimento, de amor.

O que querem as mulheres? Depois de tudo que vi e ouvi: amor, claro, como todos nós, mas antes de tudo, RESPEITO E RECONHECIMENTO. Só isso, e o mundo ainda insiste em virar-lhe a face.

Humilhada e desprezada em seus direitos mais básicos e essenciais, a mulher resiste como uma montanha imponente, armada com sua garra e sua resistência diária.

Uma vez escrevi sobre minha mãe Terezinha, nos seus 80 anos, “ela que foi forjada, sobretudo, na imensa fé e na inexpugnável catedral do espiritualismo”: “Sua palavra sempre foi um vento de esperança e fé, como também a ordem de quem sempre desejou fazer e ensinar a coisa certa. E quantas vezes fomos ingratos por isso, e depois quantas e quantas vezes também choramos nossas lágrimas de arrependimento por não escutá-la. Ela queria, e quer, somente que sejamos felizes, honestos e justos”. Acho que vale para todas as mulheres.

Sempre que nós homens prestamos homenagens às mulheres, nos vem a imagem da mãe. Considero normal essa atitude. Entretanto esquecemos as outras almas, e assim, muitas vezes inocentemente, não nos damos conta de que elas são iguais a nós, com seus sonhos, suas lutas, suas quedas e reviravoltas, seu brilhantismo poético das guerreiras invencíveis, suas ânsias, sua vontade de mudar o mundo pra melhor, seu desejo eterno de sentar-se à mesa e determinar também, e justamente, nossos destinos.

É preciso mergulhar na alma e na sua incrível e emocionante capacidade de superação, lembrar das vitórias que conquistou quando tudo parecia perdido.

Temos que celebrá-las como celebramos a vida, a família, o trabalho e a felicidade. Celebrar as eternas e boas lembranças em nome de todas elas.

“A mulher tem na face dois brilhantes/Condutores fiéis do seu destino./Quem não ama o sorriso feminino/Desconhece a poesia de Cervantes”, diz o trecho da música. Perfeito.

Que a noite fria se evapore, e olhemos agora para um novo mundo. Comando e poder, igualdade, respeito, reconhecimento, amor, é uma dívida que temos e que, por dever, devemos liquidá-la, agora mesmo.

Esqueçamos hoje as estatísticas, as injustiças, para virar a página, e escrever um novo presente, antes que a história nos prenda na masmorra da ingratidão e da maldade.

 E como usei muito a palavra “sempre” nesse texto, “Que todos os dias do resto de nossas vidas sejam sempre um 8 de Março”.

Sempre te esperei, e agora que chegou sinto-me tão pequeno. Mas pronto pra ti honrar, definitivamente.



Publicado originalmente em www.jornalcorreiopopular.com, coluna de quinta, 8/3

Chá beneficente para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica

Cada vez que um agressor é punido e obrigado a se afastar de suas vítimas, um novo drama se instala na família da mulher vítima de violência doméstica. Sem o suporte financeiro do companheiro agressor, companheira e filhos estarão submetidos a uma situação de carência material, que vai desde a dificuldade em conseguir alimentos, às necessidades cotidianas mais simples, mas não menos importantes, como produtos de higiene e o material da escola das crianças.

Segundo pesquisa de um importante instituto mantido por uma grande companhia de cosméticos, 27% das mulheres vítimas de ameaças, violência física e/ou psicológica se recusam a largar seus agressores porque eles são os provedores da casa - mesmo em casos em que a mulher tem alguma renda. Marcadas no corpo e na alma, psicologicamente em frangalhos, elas ainda têm que suportar o constrangimento e a humilhação de continuar vivendo no mesmo espaço de seus algozes.

Maior parte das mulheres agredidas pelos companheiros têm baixa renda e pouco estudo, e quase nenhuma qualificação profissional.

Essa triste e chocante realidade despertou um sentimento de solidariedade e uma atitude concreta de cidadania em membros da rede de parceiros que lidam diariamente com casos de violência doméstica contra a mulher em Imperatriz.

Idealizado pela Vara Especial da Mulher, com apoio da Promotoria Especializada da Mulher, um primeiro passo já foi dado para ajudar, com medidas sociais e de caráter afirmativo, mulheres vítimas de violência. É o projeto “Justiça Social – Além dos Limites Processuais”.

“Percebemos que não bastava apenas punir o agressor, na forma fria da Lei, afastando ele de sua vítima, por exemplo. Mas também tomara uma iniciativa prática para ajudar essas mulheres e seus filhos”, explica a juíza Sara Gama, da Vara Especial da Mulher.

Com a ajuda de órgãos públicos, entidades de defesa dos direitos da mulher e parceiros individuais e da iniciativa privada, o projeto tem ajudado dezenas de vítimas com a distribuição regular de cestas básicas e cursos profissionalizantes.

“Como não somos uma ONG, não temos CNPJ, não podemos firmar convênios com instituições que ofereçam cursos profissionalizantes, como por exemplo o Senac, por isso partimos para as parcerias com a sociedade. Esse é um projeto essencialmente tocado pela sociedade”, esclarece a juíza.

O segundo passo agora é qualificar, dar uma profissão a essas mulheres vítimas de violência, para que elas possam de profissionalizar e ter emprego e renda para sustentar seus filhos longe de seus agressores.

“Precisamos quebrar esse círculo de violência. É uma questão que diz respeito a toda a sociedade”, afirma Sara Gama.

A Vara Especial da Mulher de Imperatriz realiza levantamento em seu acervo de 600 processos e até agora traçou o perfil sócio-econômico de cerca de 100 mulheres vítimas de violência doméstica.

Quinze mulheres já manifestaram o desejo de participarem de algum curso profissionalizante.

“Iniciamos esse trabalho com quatro mulheres. É um começo pequeno, mas é um começo”, declara a juíza.



Chá beneficente



Nesta quinta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, a Vara Especial da Mulher e um grupo de parceiros realizam o I Chá Beneficente para 200 pessoas com o objetivo de criar um fundo para custear o pagamento de cursos profissionalizantes para mulheres vítimas de violência doméstica.

O dinheiro arrecadado será administrado por uma comissão formada pela juíza Sara Gama, um membro do Ministério Público e representantes da sociedade.

“Daremos a maior transparência e divulgação possível ao projeto. Como disse, é um projeto da sociedade, por isso é importante que a sociedade participe, se interesse, venha conosco participar dessa causa”, ressalta a juíza.

A ação seguinte será lançar uma campanha para conhecimento público e uma convocação para que todas as mulheres vítimas de violência – não só as cadastradas no levantamento sócio-econômico – que queiram se qualificar em algum curso profissional procurem a Vara Especial da Mulher, onde serão atendidas conforme a demanda e a disponibilidade de recursos.



Serviço



I Chá Beneficente da Vara Especial da Mulher e Parceiros

Local: Colonial Eventos

Dia: 8 de Março (quinta-feira)

Horário: A partir das 18h

Os convites podem ser adquiridos nos seguintes locais: Vara Especial da Mulher, Casa da Amizade, MM Jóias, O Boticário, Lacqua Di Fiori, Iana Calçados, Art Passo, Noivas e Noivos e Cerimonial Mara La Rocque.

Informações: 2101-4519 (Vara Especial da Mulher)

Publicado originalmente na edição de terça, 6/3, do Correio Popular e de O Progresso

Oportunismo eleitoreiro

Ano de eleição é sempre assim. Aparece dinheiro para tudo, promessas são renovadas, o que não pôde ser feito no começo de repente vira a coisa mais fácil do mundo. Sem ainda ter cumprido nem uma ínfima parte dos compromissos assumidos em campanha, o prefeito Sebastião Madeira de uma hora para outra anuncia várias ações na tentativa da adocicar a boca do eleitorado com o mel da disfarçatez.

Primeiro, mandou divulgar que vai adquirir R$ 4 milhões em equipamentos para o Socorrão. Mas pera aí, até o final do ano passado, três anos de administração, o prefeito vivia choramingando, dizendo que o caos na saúde decorria da falta de recursos. Correu para Roseana com o pires na mão e ela o socorreu, e em “agradecimento” o prefeito ordenou gente paga pela Prefeitura espalhar nos bairros que a governadora havia liberado R$ 5 milhões, sim, mas que, assim que assumiu, com a queda de Jackson, mandou cortar R$ 60 milhões de Imperatriz. Tudo balela. Agora, Madeira aparece com esses R$ 4 milhões. De onde vieram?  Coisa de ano eleitoral.

Outra jogada do prefeito: concurso público. Todo mundo sabe como isso funciona. Arrecada-se a grana dos candidatos, paga quem vai operar o concurso, e depois tome chá de espera nos aprovados. Por que não fez antes, já que sabia que havia carência de gente nas áreas em que será realizado do concurso? Coisa de politicagem.

O prefeito resolveu também dar uma de bonzinho. Anunciou que a Prefeitura começa agora em março cadastramento de famílias que irão participar do sorteio de 2.300 casas. Coisa de oportunismo. Um conjunto do PAC, iniciado na gestão anterior e concluído agora na sua, está abandonado, as casas todas se desfazendo, mas ao agora ele anuncia o sorteio. Coisa de oportunismo e desrespeito com as famílias carentes beneficiadas com o programa.

E assim segue a administração tucana. Um remendo aqui outro acolá, uma jogada de marketing de em vez em quando porque ninguém lá é bobo.

***

Pré-candidato, sim

O deputado estadual Carlinhos Amorim confirma à coluna que é pré-candidato, sim, à Prefeitura de Imperatriz. Diz que tem o aval das direções nacional e estadual do PDT.

Carlinhos revela que vai trabalhar pela unidade do partido, hoje rachado com a intervenção no diretório nacional.

Sobre a eleição, diz que está aberto a conversas com outros, mas descarta aliança com o PSDB, do qual afirma ter se distanciado.


Publicado originalmente na coluna de terça, 6/3, do Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com)

SAÚDE: Imperatriz perde para Matões e Mata Roma

DEU NO CORREIO POPULAR (www.jornalcorreiopopular.com)


Saúde de Matões e de Mata Roma é melhor que Imperatriz



Oito estados ficaram abaixo do Maranhão segundo o índice de Desempenho do SUS divulgado sexta-feira pelo Ministério da Saúde. O IdSUS avalia o atendimento das unidades de saúde pública usando uma escala de 0 a 10. A pontuação média no Brasil ficou em 5,47. O Maranhão alcançou a nota 5,20, melhor que Ceará (5,14), Mato Grosso (5,08), Amapá (5,05), Amazonas (5,03), Paraíba (5,00), Rio de Janeiro (4,58), Rondônia (4,49), Pará (4,17) e o Distrito Federal (5,09).

A avaliação de todos os municípios brasileiros levou em conta toda a estrutura hospitalar, clínica e laboratorial. O Ministério da Saúde usou 24 indicadores, dentre os quais a cobertura populacional alcançada pelas equipes do programa Saúde da Família, proporção de cura dos casos de tuberculose e hanseníase, cobertura vacinal, proporção de parto normal, exames de mamografia realizados em mulheres de 50 a 69 anos de idade e procedimentos ambulatoriais de média complexidade, e o Pácto de Indicadores.

O levantamento levou em conta o tamanho da população, a estrutura existente e a condição econômica dos municípios. Os números usados foram os de 2007 a 2010, enviados pelos sistemas informatizados das secretarias municipais de saúde. A base de dados 2011 não foi considerada porque alguns municípios brasileiros ainda devem informações do ano ao Datasus/Ministério da Saúde.

Imperatriz

A saúde de Imperatriz ganhou do IdSUS a nota 5,40, melhor que Açailândia, com 4,44, Amarante do Maranhão, com 4,61, Bacabal, também abaixo de 5,0, e Estreito, que obteve 4,93. O desempenho de Imperatriz foi melhor também que Grajaú, Zé Doca, Alcântara e Barreirinhas, mas perdeu para São Luis, que alcançou a média 5,93, e Caxias, com impressionantes 6,72. Coelho Neto, que tem a saúde gerida pela ex-secretária imperatrizense Rosângela Curado, bateu acima de 6 pontos, um pouco melhor que Porto Franco, aferido com nota 5,75.

Outros municípios econômica e demograficamente inferiores a Imperatriz foram melhores avaliados no Índice de Desempenho do Sistema Único de Saúde. Pela ordem alfabética e aqui listados sem as notas, destaque-se Balsas, Carolina, Cururupu, Duque Bacelar, Governador Luiz Rocha, Governador Nunes Freire, Guimarães e Itapecurú Mirim. Índice acima de 5,40 também para João Lisboa, Lago da Pedra, Mata Roma, Matões, Miranda do Norte, Parnarama, Peri Mirim, Presidente Dutra, Presidente Médici, Riachão, Rosário, Santa Inês, Santa Luzia do Paruá, São Félix de Balsas, São José dos Basílios, São Vicente de Férrer e Timon. Empatados com Imperatriz – nota 5,40 -, São João do Carú, habitada por 12.309 pessoas, Ribamar Fiquene, que tem menos de 8 mil habitantes, e Montes Altos, com população inferior a 10 mil pessoas..

Juíza quer maior presença da mulher no poder

Maristeia Noleto, assessora da Casa Civil do Governo do Estado, e juíza Sara Gama, da Vara Especial da Mulher  

A juíza da Vara Especial da Mulher, Sara Gama, defendeu maior presença da mulher nas instâncias do Poder e fez um apelo para que as mulheres se engajem mais nas lutas de emancipação e de defesa e promoção de seus direitos.

Sara Gama foi a palestrante do evento de abertura da Semana da Mulher, na manhã dessa quinta-feira (1º), no auditório da Secretaria Municipal de Saúde. Presentes na abertura, o prefeito Sebastião Madeira; a secretária da Mulher, Conceição Formiga; o promotor da Promotoria Especializada da Mulher, Frederico Bacelar Ribeiro; a delegada da Mulher, Kely Kioka; a assessora da Casa Civil do Governo do Estado, Maristeia Noleto; e representantes de organismos de defesa dos direitos da mulher.

“Temos que ocupar os espaços de poder em nossos ambientes profissionais e de convivência pessoal. Temos que participar, não se calar, dar nossa opinião. Hoje a mulher não só é vítima da violência social, mas também da violência institucional, praticada em todos os meios”, afirmou a juíza.

Sara Gama revelou um dado estarrecedor da violência contra a mulher no Brasil: nos últimos 10 anos, 42 mil mulheres foram assassinadas no país. Segundo ela, 50% desses assassinatos foram cometidos com armas de fogo, 24% com armas cortantes e em 16% dos casos, as vítimas foram estranguladas. Em 50% dos casos, os assassinatos foram cometidos dentro de casa, pelos parceiros ou algum membro das famílias das vítimas.

“A igualdade existe no papel, mas precisamos trazê-la para a realidade e isso só se consegue com maior participação da mulher nas esferas de poder, políticas públicas de profissionalização das vítimas da violência doméstica e maior engajamento das mulheres nessas lutas”, observou a magistrada.

De acordo com a juíza, a maioria das vítimas de violência doméstica possui algum grau de dependência financeira do agressor. “O Poder Público tem que qualificar essas vítimas, na maioria, carentes, para que o Brasil possa quebrar esse círculo de violência”.
Sara Gama destacou o projeto “Justiça Social – Além dos Limites Jurídicos”, desenvolvido pela Vara Especial da Mulher, a Promotoria Especializada da Mulher e parceiros da iniciativa pública e privada. “Não adianta apenas punir esses casos na esfera judicial, se as vítimas continuam sendo dependentes de seus agressores. Temos que qualificar e criar condições para que essas vítimas alcancem sua liberdade financeira”, explicou.

A juíza, no entanto, listou alguns avanços, como a Lei Maria da Penha, a Lei de Cotas para mulheres nas listas de candidatos dos partidos, e as políticas nas três esferas (federal, estadual e municipal) de promoção dos direitos das mulheres.

“Aqui em Imperatriz temos hoje uma Secretaria da Mulher, a cidade já realizou quatro conferências sobre os direitos da mulher, enquanto que a União só realizou três conferências nacionais, e agora teremos o I Plano Municipal de Políticas para as Mulheres”, ressaltou.

Sara Gama convocou as mulheres a participarem do processo político, como forma de dar visibilidade ao movimento e conquistar espaços nas estâncias de decisões políticas e nos postos de comando. “Temos que equilibrar a balança e ocupar, cada vez mais, maior espaço no poder”.

Mulher e Poder - Este ano, a Semana Municipal da Mulher tem como tema “Decisão e Poder, também são espaços de Mulher”.

“É um tema apropriado, já que estamos em ano eleitoral. A mulher precisa tomar decisões, mudar, se unir, estudar e ter o Poder de mudar sua história”, destacou a secretária da Mulher, Conceição Formiga.

A assessora da Casa Civil do Governo do Estado, Maristeia Noleto, disse que “a mulher deve imediatamente ocupar seu espaço de poder na sociedade e isso tem relação também com a disputa do poder político”.

“Não podemos retroceder, os avanços foram muitos e temos que intensificar nossa luta. O mundo mudou, e as noções de cidadania, justiça e democracia não diferem sexos”, afirmou.

Segundo ela, a eleição de Dilma Rousseff, a primeira mulher a ocupar a presidência do Brasil, e a escolha de nove mulheres para seu ministério “é feito histórico e extraordinário”, “mas que esse fato não seja apenas uma brisa passageira”.

“A mulher tem que assumir mais postos de comando, pois o ideal de igualdade político-partidária ainda está longe do que queremos. Precisamos afirmar nossas conquistas e avançar sempre nessa direção”, reforçou.

Para o promotor Frederico Ribeiro, “a conquista do poder é o único caminho” para a consolidação dos direitos da mulher e sua efetiva igualdade na sociedade.

A vereadora Fátima Avelino, única mulher na Câmara de Vereadores, lembrou que este ano haverá aumento no número de assentos no Legislativo Municipal e conclamou as mulheres a participarem ativamente do processo eleitoral. “Seria uma conquista grandiosa se tivéssemos pelo menos 50% de ocupação das vagas na Câmara. Este ano serão 21 vagas, e torço para que mais mulheres se elejam para a Câmara de Vereadores”. (Por Carlos Gaby)

***
*Fonte: Correio Popular (www.jornalcorreiopopular.com) e O Progresso (www.oprogressonet.com.br)

Câmara debate trem de passageiros nesta 3ª

A Câmara de Vereadores debate neste terça, 6, em audiência pública, a possibilidade do retorno do trem de passageiros da Vale, no trecho de 197 quilômetros, entre Estreito e Açailândia, informa a assessoria do Hamilton Miranda (PSD).

O representante da ferrovia Norte-Sul, Osvaldo Cruz, deverá explicar à comunidade, aos vereadores, deputados, prefeitos e lideranças sobre a viabilidade do retorno do projeto.

Ildon é candidato

Ildon é candidato. ConfiraAQUI.

O medo de perder

Você confia num sujeito que raspa teu prato e depois cospe na soleira de tua casa? Então você confia num covarde.

Você confia num covarde? Então você confia num sujeito que raspa o prato e depois cospe na soleira da tua casa.

Fernando Sarney cotado para assumir CBF

Um dos vice-presidentes, o empresário Fernando Sarney é um dos cotados para assumir interinamente a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O presidente Ricardo Teixeira decidiu permanecer no cargo, anulando as expectativas de que poderia renunciar à presidência da entidade máxima do futebol brasileiro.

Teixeira deve pedir nesta quinta-feira afastamento do cargo para realizar exames médicos.

Na reunião na noite de ontem, com seus diretores e presidentes de federações estaduais, durante assembleia, o presidente anunciou que fica no cargo, segundo anúncio do presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, Rubens Lopes.

José Maria Marin, outro vice-presidente da CBF, seria o mais cotado para assumir a interinidade, mas Fernando Sarney não está fora do páreo.

Fernando estaria hoje em Imperatriz, para participar de  compromissos profissionais do grupo Mirante.

A ofensiva do PT

Na última sexta-feira, o PT escolheu o seu pré-candidato à Prefeitura de Imperatriz, o historiador, jornalista, escritor e editor literário Adalberto Franklin. É a largada para o renascimento do partido, desde a saída de Jomar Fernandes da Prefeitura e de duas derrotas consecutivas nas urnas na eleição majoritária.

Os petistas anunciaram que não abrem mão da cabeça de chapa, numa eventual coligação com outros partidos de esquerda, incluindo aí o PCdoB, que tem o vereador Edmilson Sanches como pré-candidato.

O projeto do PT é disputar – com com apoio de Brasília - a eleição nas principais cidades brasileiras. No Maranhão, as prioritárias são a capital, São Luís, e Imperatriz, ambas governadas pelo rival PSDB.

“Será a campanha do tostão contra o bilhão”, diz um petista, referindo-se à disputa contra o prefeito Sebastião Madeira e toda a máquina da Prefeitura. O pré-candidato Adalberto dispara: “O Madeira pensa que já sofreu todas as críticas que podia. Agora é que vão começar de verdade. Ele não fez nada do que prometeu em campanha e nem deu conta de fazer o feijão-com-arroz”.

Como se vê, o alvo do PT já foi escolhido. 

Uma candidatura própria petista e mais a do ex-prefeito Ildon Marques complica ainda mais o cenário de disputa para o prefeito Madeira. O PT traça uma estratégia para ser uma terceira via para o eleitorado, buscando renovação em seus quadros e apostando mais uma vez na militância e no voto jovem.

Os petistas esperam também ganhar a adesão do PCdoB e ter em seu palanque o presidente da Embratur, Flávio Dino. Em público, os comunistas negam, mas nos bastidores não descartam a possibilidade de vir a compor com o PT, abrindo mão de sua candidatura. Dino terá que peregrinar pelo Maranhão na campanha, armando sua base para 2014, quando novamente estará no jogo da sucessão estadual. Portanto, essa possibilidade está em aberto para os petistas.

Esta semana, uma comissão de petistas estará em Brasília reunida com a cúpula do PT nacional, para traçar as estratégias e pedir, oficialmente, todo o apoio que o partido precisa em Imperatriz. O histórico líder camponês Manoel da Conceição, linha direta com Lula e Dilma, integra essa comissão.

O PT vai cobrar a fatura nas cidades em que apoiou candidaturas de sua base aliada. Em São Luís, o maior aliado, PMDB, retirou seus nomes para apoiar o vice-governador Washington Oliveira. Em Imperatriz, entretanto, essa composição é improvável. Primeiro porque o PMDB tem na candidatura do ex-prefeito Ildon chances reais de triunfar nas urnas. Segundo, os petistas jamais aceitariam essa aliança.

Seguindo a orientação do Planalto, o PT prepara sua artilharia contra o alvo tucano. Um marqueteiro conhecido, Nilson Takashi, hoje nos quadros do partido, segundo fontes, fará a campanha de Adalberto sem cobrar um centavo.

A tática do PT é de uma ofensiva forte, focada na cobrança das promessas não cumpridas de Madeira e críticas incisivas ao que chamam de “feijão-com-arroz”, nas palavras do próprio Adalberto: cidade esburacada, trânsito caótico, bairros isolados e abandonados, saúde precária.

A pergunta agora é: Adalberto chega em maio com dois dígitos, no mínimo 10%, nas aferições das pesquisas? Se sim, então o velho PT estará de volta, incomodando, e rugindo para o tucanato.

O jogo só está começando, mas as previsões apontam para uma disputa duríssima, de lado a lado. O PMDB observa da moita.


EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...