Roseana quer Madeira e Ildon juntos

Politicamente, a viagem da governadora Roseana Sarney semana passada à região tocantina foi um "espalha peças" no quebra-cabeças que o prefeito Sebastião Madeira tenta montar para 2014, e sua sucessão, em 2016.

A aproximação que a governadora intermediou entre o ex-prefeito Ildon Marques e Madeira deixou este último sem trunfos na manga, no dizer de um assessor do prefeito tucano.

Roseana praticamente obrigou Madeira a ligar pessoalmente para Ildon o convidando a fazer parte da comitiva oficial da governadora em eventos nos municípios visitados. É o que comentam nos bastidores.

A situação pegou o atual prefeito de calças curtas. O deputado Chiquinho Escórcio, candidato de Madeira, não compareceu aos eventos. Durante meses, Chiquinho bateu no peito que era o pai da criança, ou melhor, do veículo adquirido com recursos do Estado para o Corpo de Bombeiros de Imperatriz. Quem faturou, no final, foi o deputado estadual Léo Cunha. No discurso durante entrega do carro dos Bombeiros, Roseana nem citou o nome do protegido de sua família. Só lembrou durante aparte que fez no discurso de Madeira, que elogiou Chiquinho pelo apoio que vem dando à sua administração, principalmente na área de saúde.

A estratégia de Roseana foi manter Chiquinho bem distante, enquanto articulava a aproximação dos dois adversários. Já dizem até que Ildon será o candidato de Madeira a deputado federal.

Por detrás da cortina, Roseana não quer saber de brigas entre aliados, porque sabe que a eleição de seu candidato, Luís Fernando Silva, é missão dificílima.

Madeira não sabe agora como honrar seu compromisso com Chiquinho. Esse é apenas um dos vários obstáculos ao projeto político do prefeito.

Sem candidato dentro de seu grupo para 2016, Madeira nem sonha com a derrocada da pré-candidatura de Luís Fernando. Estremecido nas relação com Lobão, uma candidatura do ministro das Minas e Energia colocaria Madeira na geladeira. Outro que não que nem ouvir falar nisso é o presidente da Câmara de Vereadores, Hamilton Miranda, aliado de Chiquinho e de Luís Fernando, que tenta viabilizar sua candidatura a prefeito.

A visita também foi péssima para Roseana, como comemoram os adversários. Sobrou crianças, levadas em ônibus, e os poucos e mesmos aliados de sempre, mas faltou o povo nas solenidades. Prova de que nem ela, nem seu candidato Luís Fernando, conseguem empolgar o eleitor na região tocantina.

Quem não tem nada a ver com isso, é o ex-prefeito Ildon, que deixou o PMDB e deve ingressar num partido da base aliada da governadora. Por enquanto, conseguiram acalmar o Asa Branca. Até quando?

2 comentários:

  1. Como o próprio Madeira diz; manda quem pode obedece quem tem juízo. Se a Roseana é quem está bancando as obras aqui na cidade, ele tem mais é que obedecer mesmo. Agora o duro vai ser é apoiar o Ildão que dentro do PMDB está sem moral. E como é que vai ficar o Pastor Porto e o filho do Jackson Lago que além do Chiquinho também diziam que seriam apoiado pelo Madeira.

    ResponderExcluir
  2. Olha, o deputado Chiquinho tem o seu jeitão de ser, mas a vida é cheia de diversidades de temperamentos. A quem goste dele e outros não, mas que ele é batalhador ninguém pode negar. Agora, depois de tanto ajudar a Roseana ela será ingrata se der um chega para lá. O cara faz e é isso que o povo precisa. Se é a Roseana ou não quem está bancando as obras ela tem alguém que é muito bom e resolve muito, o Chiquinho. Será que Imperatriz vai ser ingrata? Meu voto será dele.

    ResponderExcluir

Prefeitura troca multas trabalhsitas por equipamentos públicos

Márcia Nardin, representando a 1ª vara do Trabalho de Imperatriz, e o Secretário de Administração José Antonio Pereira Os bairros d...