Forte e chocante, ''Caterpillar'' fala sobre o horror da guerra longe do campo de batalha

ALESSANDRO GIANNINI
Editor de UOL Cinema
Keigo Kasuya no papel do tenente Tadashi Kurokawa,
personagem principal de "Caterpillar", de Kôji Wakamatsu

Forte, violento e polêmico, "Caterpillar" deixou uma sensação de desconforto em quem assistiu ao filme no Festival de Berlim 2010 e deverá produzir o mesmo em quem assistir o filme na Mostra de São Paulo 2010. O diretor japonês Koji Wakamatsu conta a história da relação entre Shigeko (Shinobu Terajima) e o seu marido, o tenente Kurokawa (Shima Ohnishi, premio de melhor interpretação feminina em Berlim), um herói da segunda guerra entre Japão e China que volta para casa sem os quatro membros, a visão embaçada e a audição e a fala prejudicadas por ferimentos e queimaduras da batalha.
Tudo se passa na pequena vila onde o casal e a família dele moram. Do momento em que Kurokawa é convocado pelo conselho da cidade para representar a comunidade no campo de batalha até o desenlace do filme a guerra aparece apenas em flashbacks do herói abatido e atormentado por sua imobilidade e dependência total da mulher. Ela faz tudo por ele, desde lhe dar a comida até o sexo, passando pela troca de roupas.
Mesmo tendo total controle sobre tudo, Shigeko se deixa dominar pelo marido - controlador, ciumento e violento mesmo sem condições físicas para isso. À medida que a cidade inteira volta as atenções para ela, por ser a responssável pelos cuidados de um herói, ele se ressente de estar imprestável.
Egresso da prisão e ex-diretor de filmes pornográficos, Wakamatsu choca com uma visão tão crua dessa relação de dependência e viciada em padrões conservadores. O foco, no entanto, está menos nas desgraças do tenente Kurokawa, que esconde na memória crimes de guerra hediondos, do que na ideia de que uma geração de mulheres e filhos mantidos longe do cenário da batalha em guerras passadas cresceram submetidos a uma pressão tão terrível quanto os homens que os deixaram para combater
....................................................
Sinopse

Em 1940, durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa, o tenente Kurokawa retorna à sua terra natal como um soldado honrado e condecorado, mas sem os braços e as pernas, perdidos em uma batalha na China continental. Todas as esperanças dos membros da família e dos homens e mulheres da vila se voltam à Shigeko, a mulher do tenente. Para honrar o imperador e o país e tornar-se um exemplo para todos, ela deve assumir seu papel e cuidar do “soldado-Deus”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Flávio Dino garante reforma do Socorrão de Imperatriz

Em audiência nesta terça -feira (22), no Palácio dos Leles,  o governador Flávio Dino garantiu ao prefeito Assis Ramos a liberação de recu...