Polícia prende 5 suspeitos de assassinato do líder camponês Cabeça


Uma operação conjunta da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), e das Delegacias Agrária e de Buriticupu culminou na prisão da quadrilha acusada de ter assassinado o líder comunitário rural Raimundo Alves Borges, conhecido como Cabeça, no município de Buriticupu, distante 404 quilômetros da capital maranhense, fato ocorrido no dia 14 de abril. Raimundo era presidente da Associação Vila Casa Azul.

Na ação policial foram presos José de Assis, o Zé Trinta; Manoel da Silva Oliveira, o Manelão; José Ferreira dos Santos, o Zé Peres; Antônio de Sousa Santos, o Toinho; José de Sousa Ramos Santos, conhecido como Zequinha. Outro envolvido no crime, identificado como Francisco Teixeira de Oliveira Filho, o Filho, conseguiu empreender fuga.

Segundo o delegado de Buriticupu, Carlos Alessandro, o Manelão, é pistoleiro e está sendo apontado como executor dos disparos que vitimou o líder camponês. Ele possui passagens por receptação na Polícia Civil, e por porte ilegal de arma pela Polícia Federal. Já Zé Perez, Toinho e Zequinha são acusados de serem os mandantes da ação criminosa. Filho teria pilotado a motocicleta no dia do homicídio.

Para entender o caso

No sábado, dia 14 de abril, o presidente da Associação dos Moradores da Vila Casa Azul, Raimundo Alves Borges, conhecido como Cabeça, foi vítima de uma emboscada feita por seis homens armados em frente à sua residência, no Povoado Vila Casa Azul, em Buriticupu. Os homens disparam vários tiros contra o líder.

Conforme explicou o delegado de Buriticupu, Carlos Alessandro, a motivação do crime foi em decorrência a uma disputa de terra, na localidade Povoado Terra Bela. O terreno estava sendo objeto de uma disputa judicial na Comarca de Buriticupu, entre um homem conhecido como Boa Ventura e Zé Perez. Boa Ventura pediu o apoio do presidente da Associação, que prontamente aceitou e se prontificou a ajudá-lo a resolver o problema.  Durante uma assembleia, Raimundo Alves teria deliberado pela expulsão de alguns membros da associação, dentre os quais uma filha de Zé Peres.

As investigações tiveram início logo que aconteceu crime, sob o comando dos delegados Carlos Alessandro de Buriticupu e Rubem Sérgio, da Delegacia Agrária. Várias diligências foram feitas, a fim de elucidar o caso, inclusive com a identificação de autoria, mandantes e motivação do crime.

A operação foi deflagrada na madrugada desta quarta-feira (2). Policiais Civis sob o comando dos delegados, que já vinham monitorando o paradeiro da quadrilha, prenderam no Povoado Vila Casa Azul e na sede do município de Buriticupu, em um cumprimento de mandado de prisão temporária expedido pela Comarca de Buriticupu.

A polícia ainda está trabalhando para conseguir prender Francisco Teixeira. Os envolvidos serão transferidos para São Luís, e apresentados, nesta quinta-feira, (3), durante entrevista coletiva no Auditório da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP).

Fonte: SSP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...