RASTEIRA EM PASTOR PORTO?

Hamilton, Madeira e Porto: armadilha ou brincadeira

Entrar no ninho tucano pode até ser não muito difícil assim. A luta é entender que às vezes, e em grande parte delas, não haverá lá de bico aberto a ave símbolo do partido fundado por ex-sonhadores de esquerda. Mas um cofo de serpentes da política.

Pastor Porto, o vice do prefeito Madeira, que prentende eleger-se deputado pelo PPS, pode ter provado o veneno.

Pelo menos foi o que deixaram escapar madeiristas ferrenhos logo após a cerimônia de transmissão de cargo na tarde desta quinta, quando o prefeito passou a tarefa ao presidente da Câmara, Hamilton Miranda - Madeira ficará dez dias em férias nos Estados Unidos e comunicou oficialmente à Câmara sua ausência.

Natural que o vice assumisse. Ocorre que se o fizesse estaria com o registro da candidatura comprometido, e não poderia aventurar-se em ganhar pela primeira vez nas urnas o sonho que tanto persegue. 

Reside aí a arapuca que alguns classificam como ato natimorto do projeto do vice-prefeito.

Na cerimônia de transmissão de cargo, leu-se a carta do vice explicando por quê não poderia assumir a cadeira do primeiro mandatário. 

Ocorre que não existe a figura legal do pré-candidato na legislação eleitoral - é um termo meramente técnico e jornalístico para dizer que, até as convenções, ninguem é candidato de verdade.

Entendem os eufóricos partidários mais espertos do prefeito, que Porto deveria ter comunicado oficialmente à Câmara sua impossibilidade, por algum motivo previsto em lei, como questões de saúde ou viagem, para ser bem claro. O que não aconteceu, segundo um vereador.

O vice então, seguindo esse raciocínio, estaria em situação complicada. Como não assumir, se está na cidade e não justificou sua impossibilidade? Apenas em carta, sem informar a Câmara e provar essa impossibilidade? 

Um advogado especialista em direito eleitoral diz que tudo depende da lei orgânica do Município. Há dúvidas, portanto.

De qualquer forma, se não for uma rasteira em Porto, é um recado de que onde Madeira pisa há que se ter bastante cuidado.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...