INSEGURANÇA: 126 MUNICÍPIOS MARANHENSES NÃO POSSUEM DELEGADOS


26/02/2014 09:53:09 - Annyere Pereira / Agência Assembleia


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), recebeu na tarde dessa terça-feira (25), em uma visita de cortesia, uma comitiva formada pelo presidente da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA), Marconi Chaves, o vice, Lucas de Costa Ribeiro Filho, o tesoureiro, José Maria Melônio Filho, e Jefferson Portela, do Conselho de Disciplina, que foram lutar pelos direitos da classe.

De acordo com Marconi, a intenção da visita foi de também informar ao presidente da Casa as principais razões que levaram os delegados de polícia a declarar estado de greve e as paralisações gradativas. “Na última assembleia do dia 24, em respeito, suspendemos as paralisações dos dias 27 e 28 devido as proximidades das festas carnavalescas e visando não trazer prejuízos para a sociedade”, afirmou.

Explicou ainda que os delegados deliberaram no sentido de suspender as paralisações e foi remarcada outra assembleia para o dia 14 de março, em que irão aguardar o posicionamento do governo do Estado.

Segundo ele, a Adepol tem buscado abrir o diálogo com o governo em relação as reivindicações, dentre elas, as melhorias nas condições de trabalho, autonomia financeira da polícia, concurso de remoção, reconhecimento pleno da aposentadoria, criação de indenizações para quem acumula mais de uma cidade e o precatório que está em atraso.

Marconi contou que a Assembleia Legislativa deu atenção especial em algumas outras questões e obtiveram êxito, e nesse momento de crise em que a Polícia Civil atualmente está passando esperam também obter um retorno positivo. “Estamos no limite do razoável. Queremos uma resposta para a sociedade”, disse.

Dentre outras problemas apresentadas a Arnaldo Melo está a falta de uma sede própria para a Polícia Civil. “Ocupamos uma sala da Secretaria de Estado da Segurança Pública, a nossa sede está abandonada por falta de conservação. Estamos ao risco de desabamento e sem condições de uso”, afirmou Marconi. Além disso, explanaram também que os plantões centrais não são dignos para receber qualquer cidadão que seja.

Segundo os representantes da Adepol-MA, 126 municípios maranhenses não possuem delegados, dos poucos que têm respondem a três ou quatro cidades. “É importante que a Assembleia leve ao Executivo todas essas nossas reivindicações em respeito a sociedade, pois não queremos prejudicar ninguém”, ressaltou José Maria.

Eles deram a Arnaldo Melo cópias de ofício, no qual foram encaminhados ao governo estadual, mas que nunca tiveram retorno.

Para Marconi, a expectativa na conversa com Arnaldo Melo foram as melhores possíveis, “sabemos que ele é um homem democrático, aberto ao diálogo, temos nele a esperança de um investimento, uma transformação da Polícia Civil”.

Para Arnaldo Melo, a classe dos policiais civis do Maranhão há muito tempo vem procurando as suas melhorias e sempre encontram todo o apoio da Assembleia Legislativa que é a Casa conciliadora, a Casa que concilia os interesses das instituições. “Todos nós sabemos que a Polícia Civil é uma instituição importantíssima de todos os estados da federação, e aqui no Maranhão não é diferente. A pretensão da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa e de todos os deputados é dá o apoio possível à nossa Polícia Civil, assim como já demos também para a Polícia Militar”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Perseguição na praia e estacionamento privado

Há décadas, durante quatro meses de veraneio, homens e mulheres do povo aproveitam para engordar suas poucas finanças familiares. Gas...