PEDRINHAS: Líderes de facções são transferidos para presídio federal


Sete presos acusados de serem líderes de facções criminosas que agem dentro dos presídios do Maranhão foram transferidos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, localizado em São Luís, para a Penitenciária Federal de Campo Grande, nesta quarta-feira (12).

São eles: Edmilson Viana Ribeiro Júnior (Presídio São Luís II); Marcos André Silva Viera (Presídio São Luís II); Jimmi Cleiton Alves Siqueira (Presídio São Luís II); Luís Fernando Cruz Rabelo (Centro de Detenção Provisória); Alberto de Carvalho Neto (Centro de Detenção Provisória); Gihelington de Jesus Santos Silva (Centro de Detenção Provisória); e William de Oliveira Costa (Centro de Detenção Provisória).

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), os sete presos são de alta periculosidade e se enquadraram nos requisitos do Ministério da Justiça para serem custodiados em presídios federais.

Oito presos seriam transferidos, mas de última hora o preso Leanderson Nonato dos Santos, que estava custodiado na Casa de Albergue do Monte Castelo, não embarcou no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís.

Este é o segundo grupo transferido do Maranhão desde a crise enfrentada pelo Estado no sistema prisional, onde líderes de facções criminosas vem atuando de forma violenta, de acordo com um relatório do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

No dia 3 de janeiro, a crise foi intensificada quando líderes da facção Bonde dos 40 --nome em alusão à pistola .40-- ordenaram que integrantes que vivem foram dos presídios ateassem fogo em vários ônibus na capital maranhense. Quatro ônibus foram atacados, sendo três deles incendiados, e cinco pessoas foram queimadas, sendo que uma criança morreu com 95% do corpo queimado. Uma pessoa ainda continua internada em estado grave.

No dia 20 de janeiro, a PF (Polícia Federal) iniciou a transferência de presos de alta periculosidade do sistema prisional do Maranhão para presídios federais de segurança máxima. Nove presos foram levados em um avião da corporação.

Esta não é a primeira vez que presos do sistema penitenciário maranhense vão para unidades federais. No dia 20 de julho, nove presos foram para o presídio federal de segurança máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Todos os internos foram identificados por liderar facções criminosas e que estavam agindo de dentro dos presídios, dando ordens para serem praticados diversos crimes fora do sistema prisional.

A transferência dos presos de alta periculosidade do Complexo de Pedrinhas para presídios federais para desarticular as ações dos grupos que disputam a liderança do tráfico de drogas faz parte das ações anunciadas pelo governo do Estado para combater a violência dentro do sistema prisional.

Do UOL Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara aprova 6.29% de reajuste para a Educação

A Câmara Municipal aprovou nesta quinta-feira (25) projeto de reajuste salarial de 6.29% para os servidores da Educação e a isonomia ...