Câmara aprova indicação de Chiquinho França para a FCI

Chiquinho França é sabatinado pelos vereadores; indicação foi aprovada por 19votos a favor e 1 contra/Foto: Sydney Rodrigues


Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira (4), a Câmara de Vereadores aprovou a indicação do músico e produtor cultural Chiquinho França como o novo gestor da Fundação Cultural de Imperatriz (FCI), em cumprimento ao artigo 14 da Lei Orgânica do Município. 

Durante mais de duas horas, Chiquinho França foi sabatinado pelos vereadores e apresentou os projetos da FCI para os próximos quatro anos.
Para o vereador Adhemar Freitas Jr. (PSC), a FCI deve priorizar a manutenção do patrimônio cultural do Município. “Temos manifestações que precisam do apoio direto do Município, como as festas juninas e outras atividades artísticas”, observou.

O vereador Alberto Sousa (PDT) questionou a ausência de legislação que preserve o patrimônio arquitetônico da cidade e sugeriu a criação de lei de tombamento de prédios históricos.

A efetiva aplicação da lei 1541/2014, que criou o Fundo de Incentivo a Cultura, é preocupação do vereador Ricardo Seidel (Rede). Ele cobrou os repasses do Fundo aos projetos culturais e lamentou que desde a criação da lei, o Município não cumpriu com essa obrigação.

O vereador Ditola (PEN) solicitou a imediata construção de um museu e uma biblioteca municipal, e a intervenção da FCI para que o Ecad não seja somente um órgão arrecadador de direitos autorais, mas  contemple compositores, músicos e criadores com os repasses previstos em lei.          

Idealizador da Lei de Incentivo a Cultura, Rildo Amaral (Solidariedade) disse que o Teatro Ferreira Gullar ficou pequeno para as exigências de artistas e público. Revelou que destinou R$ 120 mil em emendas para as festas juninas e reforma do teatro. 

Já o vereador Aurélio (PT) lamentou o pequeno orçamento para a cultura e também cobrou a destinação dos recursos do Fundo de Incentivo a Cultura a classe artística. Reivindicou ainda projetos de cinema e teatro nos bairros.
Carlos Hermes (PCdoB) quer a construção do Arquivo Público Municipal  e lembrou que o deputado estadual Marco Aurélio, colega de partido, destinou emenda de R$ 500 mil com esse objetivo. 

Bebe Taxista (PEN) reivindicou a realização das festas carnavalescas nos bairros, valorização da musica imperatrizense e apoio ao reggae.
Bispo Eudes (PRP) lembrou a necessidade de se resgatar o antigo Festival Balneário Estância do Recreio (Faber) e da banda municipal.

Paulinho Lobão (PDT) pediu o resgate do carnaval com trios elétricos.
Chiquin da Diferro (PSB) criticou a falta de emendas das bancadas estadual e federal e disse que o Município não tem condições de arcar sozinho com festas populares, como o Carnaval.

O vereador Fábio Hernandez (PSC) apresentou sugestão para que a FCI busque parcerias público-privadas, orçamento para o Carnaval e o São João e disse que vai apresentar emenda para o setor cultural.

O presidente José Carlos Soares (PV), antes de encerrar a sabatina e encaminhar a votação, pediu “para que não haja discriminação com os artistas regionais” e garantiu que a Câmara Municipal dará total apoio a FCI.

“A Casa está a disposição para apoiar todo e qualquer projeto que traga benefícios a nossa gente”, finalizou. (Ascom/Câmara)       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CASO NENZIN - Roseana e Sarney Filho se calam após a prisão de Júnior

Roseana faz campanha para Júnior (camisa e boné verde); ele, segundo a Polícia, é o mandante da morte do próprio pai, o ex-prefeito Nenzin...