Os nomes mais populares do Maranhão

Geógrafo e professor José Ribamar Trovão/ Foto: Divulgação
Texto: Lígia Teixeira e Camila Carneiro 

 
Você sabe quais são os nomes mais populares do Maranhão? Quem não conhece alguém chamado José, João, Maria ou Ana?  Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2016, com base no Censo Demográfico de 2010, mostra os principais nomes de pessoas no Brasil, sendo possível realizar o levantamento também por Estado.

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc)  fez o levantamento dos nomes preferidos dos pais maranhenses, constatando que “Maria”, “José”, “Antônio” e “Francisco” são os mais recorrentes desde a década de 1930.

 “Maria” é o nome mais comum no Maranhão. As Marias aparecem em 574.689 registros de nascimentos maranhenses. Em seguida, vem “José”, com 247.591 registros, “Antonio”, com 170.373, e “Francisco”, com 142.292.

Na década de 2000, período mais recente apontado na pesquisa, os nomes mais populares das meninas maranhenses eram: “Maria”, “Ana”, “Vitoria”, “Leticia”, “Amanda”, “Sara”, “Camila”, “Francisca”, “Juliana” e “Larissa”. Já para os meninos, os nomes mais escolhidos foram: “João”, “Carlos”, “José”, “Pedro”, “Antonio”, “Lucas”, “Francisco, Marcos”, “Gabriel” e “Luis”.

O levantamento identificou 130.348 nomes diferentes na população brasileira, dos quais 63.456 são masculinos e 72.814 femininos, havendo nomes comuns aos dois sexos. Para a pesquisa apenas o primeiro nome foi considerado, não sendo possível a pesquisa por nomes compostos, comuns em todo o Brasil.

Influências religiosas e históricas

O geógrafo do Imesc e também professor José Ribamar Trovão, explica que por meio do processo de ocupação do Maranhão, a região teve grande influência dos colonizadores portugueses católicos. “A ocupação do território maranhense foi muito influenciada pelos padres trazidos de Portugal, os chamados jesuítas. Eles adentraram o estado do litoral ao sertão”, explica.

A popularidade dos nomes José e Maria no Maranhão se deve em função do cunho religioso. “Acredito que em função da ênfase que a igreja católica faz à Nossa Senhora é que o nome dela está em primeiro lugar. O brasileiro é muito ligado à Nossa Senhora de modo geral. Em Belém, Nossa Senhora de Nazaré tem influência muito grande, assim como em São Paulo é a Nossa Senhora Aparecida e no Rio Grande do Sul é a Nossa Senhora dos Navegantes”, comenta Trovão.

Maria, por exemplo, é um nome de origem hebraica, que significa “senhora soberana”, uma mulher forte e decidida que não desiste facilmente de seus desejos. Já o nome José, também de origem hebraica, está presente em uma série de histórias bíblicas, pois nomeia 35 outros santos, além de São José, pai de Jesus.

Além disso, há quem opte por fazer a junção desses nomes tão populares. É muito fácil encontrar algum José Maria ou uma senhora chamada Maria José. Hoje em dia, essa composição já não é mais tão usada, mas era bastante popular nas gerações passadas.

O Maranhão vive ainda uma particularidade, que fica por conta da ação religiosa de São José de Ribamar, padroeiro do estado. Fato que faz com que grande parte dos Josés do Maranhão sejam “José de Ribamar”. O professor Trovão explica que o nome é utilizado bem mais do litoral ao médio do sertão maranhense, por conta do processo de ocupação. Enquanto que o sul e centro do Maranhão, ocupado por imigrantes criadores de gado do Vale do São Francisco, utiliza-se mais o nome Francisco, por influência da sua ocupação.

Ao longo do tempo alguns nomes se sobressaem como preferidos pelos pais, inspirados na literatura, na moda, ou inventados, enquanto outros se tornam menos populares. Pode-se perceber, no entanto, a permanente escolha de nomes bíblicos, sendo possível reflexo da forte religiosidade de matriz católica da população.

Redução de sub-registros civis no Maranhão

Em 2015, o Governo do Maranhão adotou medidas para reduzir o número de sub-registros de nascimentos no Estado. Sub-registro é o conjunto de nascimentos não registrados no próprio ano de nascimento ou no 1º trimestre do ano subsequente.

De acordo com dados do IBGE, de 2003 a 2014 mostra que das 134.852 crianças que nasceram no Maranhão em 2014, apenas 106.908 foram registradas, totalizando 20,7% sem certidão de nascimento formalmente registrada, naquele ano. Com mutirões e implantação de unidades nas maternidades a emissão de certidões de nascimento passaram a ser emitidas de forma imediata, reduzindo sub-registros e garantindo às crianças acesso à cidadania e direitos básicos.

Conheça os nomes mais populares do Maranhão:

Masculino – em todas as décadas (1930 a 2000)
Jose 246.473 pessoas
Antonio 169.554 pessoas
Francisco 141.589 pessoas
Raimundo 112.895 pessoas
João 106.349 pessoas
Carlos 55.136 pessoas
Luis 49.316 pessoas
Pedro 43.291 pessoas
Paulo 36.776 pessoas
Marcos 36.257 pessoas

Masculino – a partir da década de 2000
João 29.501 pessoas
Carlos 19.722 pessoas
José 16.697 pessoas
Pedro 15.755 pessoas
Antonio 15.603 pessoas
Lucas 15.460 pessoas
Francisco 14.165 pessoas
Marcos 14.037 pessoas
Gabriel 13.799 pessoas
Luis 12.860 pessoas

Feminino – em todas as décadas (1930 a 2000)
Maria 572.580 pessoas
Ana 105.716 pessoas
Francisca 69.066 pessoas
Antonia 56.095 pessoas
Raimunda 51.809 pessoas
Joana 15.765 pessoas
Adriana 13.665 pessoas
Fernanda 12.969 pessoas
Rosa 12.955 pessoas
Rita 11.872 pessoas

Feminino – década de 2000
Maria 49.028 pessoas
Ana 39.763 pessoas
Vitória 7.307 pessoas
Leticia 5.738 pessoas
Amanda 5.592 pessoas
Sara 5.376 pessoas
Camila 5.185 pessoas
Francisca 5.070 pessoas
Juliana 5.070 pessoas
Larissa 4.783 pessoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...