No MA, PT e PSDB se juntam contra oligarquia Sarney

Vice de Flávio Dino, Brandão (PSDB), ao lado de Roberto Rocha, discursa para petistas
Carlos Gaby

Adversários na campanha presidencial, petistas e tucanos se aliaram no Maranhão para derrubar a mais antiga oligarquia política do Brasil. O candidato da oposição, Flávio Dino (PCdoB), reúne em seu palanque mais oito partidos e consegue fechar uma frente oposicionista histórica contra o candidato da família Sarney, Edinho Lobão (PMDB), filho do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.

Aos 46 anos, ex-juiz federal e ex-deputado federal, Dino é líder nas pesquisas com larga vantagem sobre o principal concorrente. Na última sondagem divulgada por um instituto de pesquisa do Maranhão, aparece com 58,2% das intenções de voto e mantém média de 30 pontos percentuais sobre o adversário, o que o credencia a liquidar o pleito ainda no primeiro turno.

O candidato do PCdoB tem o apoio de PDT, PSDB, PSB, PPS, PP, PTC, PROS e Solidariedade.

O PT não está na coligação, mas seus dirigentes históricos agrupados no chamado PT de Verdade e a militância apoiam Flávio Dino. O grupo anunciou neste domingo 29, durante convenção que oficializou a candidatura oposicionista em São Luís, que vai montar um comitê paralelo de apoio a Dilma e Flávio Dino e colocar a campanha nas ruas já a partir deste próximo final de semana.

Sem o apoio da direção nacional, os atuais dirigentes do PT maranhenses, aliados de Sarney, decidiram por levar o partido a apoiar o candidato do PMDB, decisão que revoltou a maioria absoluta dos filiados e a militância, que queriam uma aliança com a oposição.

O vice de Flávio Dino é o deputado federal Carlos Brandão, presidente estadual do PSDB. Dino tem o apoio dos prefeitos das principais e maiores cidades maranhenses, entre eles o do prefeito da segunda maior cidade do Estado, Imperatriz, o também tucano Sebastião Madeira.

Após a convenção, Brandão, ao lado do candidato a senador Roberto Rocha (PSB) se dirigiu aos petistas e disse que não via conflitos na aliança informal entre seu partido e a resistência petista.

“Somos agora o partido da mudança, o partido do Maranhão. Nosso objetivo é vencer a eleição, acabar com a oligarquia e escrever uma nova página na história do Maranhão, com justiça social, paz e respeito a todos os maranhenses”, disse Brandão aos petistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara não descarta acionar MP para suspender pagamento de contas de energia elétrica em Imperatriz

A comissão de vereadores formada para encaminhar as proposições no relatório que será enviado a autoridades, órgãos e entidades locai...