SERRA FAZ CAMPANHA EM TO SEM APOIO DE PARTE DA BASE ALIADA

O candidato José Serra (PSDB) faz campanha nesta terça (27) em Palmas (TO) sem o apoio de parte da sua base aliada no Estado. Apesar de ter como principal cabo eleitoral o candidato ao governo de Tocantins, Siqueira Campos (PSDB), Serra não conta com a adesão dos candidatos ao Senado João Ribeiro (PR) e Vicentinho Alves (PR) - aliados de Campos no Estado.
Em nível nacional, os dois candidatos ao Senado apoiam a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República. Ambos chegam a utilizar a foto da petista em seu material da campanha, embora no Estado integrem a chapa de Siqueira Campos.
Ribeiro e Vicentinho não vão acompanhar a visita de Serra a Palmas. O tucano terá ao seu lado, além de Siqueira, a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) - que tem mandato no Legislativo até 2015.
Serra vai caminhar na avenida principal de Palmas e, à noite, terá um encontro com "lideranças políticas" na chácara de Abreu. A senadora trabalha para minimizar as baixas na campanha do tucano, que também não conta com o apoio do PPS no Estado. O partido preferiu aderir à chapa de Carlos Gaguim (PMDB), governador que disputa a reeleição, aliado de Dilma.
O peemedebista foi eleito governador no ano passado, de forma indireta, depois que o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) teve o mandato cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por abuso de poder político nas eleições de 2006.
Presidente do PSDB em Tocantins, Ernani Siqueira minimiza as baixas na campanha de Serra no Estado. "É claro que se os dois candidatos estivessem com o Serra, seria melhor. Mas o PR apoia o PT em nível nacional. A política aqui no Estado está muito misturada", afirmou.
O deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO) afirma que, mesmo com as dissidências, Tocantins é hoje o Estado "mais tucano" do país. "A própria origem do nome do nosso Estado já vem do tucano", disse em referência à língua tupi que serviu de inspiração para a criação do nome "Tocantins".

MST

Kátia Abreu é uma das principais representantes da bancada ruralista no Congresso. O encontro com Serra, organizado pela democrata, ocorre um dia depois de o tucano fazer duras críticas ao MST (Movimento dos Sem Terra) --que vive em constante atrito com os grandes agricultores.
Ontem, Serra disse que a vitória de Dilma vai intensificar as invasões de terras no país, promovidas pelo MST. Em resposta, o movimento afirmou que Serra simboliza o "retrocesso social", o "latifúndio improdutivo" e as "empresas transnacionais".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...