Coronel Melo diz que foi perseguido por Roseana

“Foi uma prisão política, uma prisão por perseguição, uma retaliação...”
 
O ex-comandante da Polícia Militar do Maranhão, Francisco Melo, disse que sua prisão na última greve dos policiais militares foi “política” e uma retaliação da governadora Roseana Sarney diante de seu posicionamento em defesa da categoria.
Melo afirmou que não se envergonha de sua prisão. “De certa maneira, foi gratificante porque apoiei e sai em defesa de minha categoria, e também em defesa da sociedade como servidor público militar, porque tenho dito que se melhorar a condição do policial militar isso reflete na segurança da sociedade”.
“A prisão, pelo contrário, vai me engrandecer, porque sai em defesa de uma causa da sociedade e tive a coragem de enfrentar. Foi uma prisão política, uma prisão por perseguição, uma retaliação porque a governadora não queria que um coronel tivesse à frente de sua tropa defendendo os interesses da tropa”, acrescentou Melo.
“Estaria eu de cabeça baixa se tivesse sido preso por ordem judicial com envolvimento em qualquer ato de irregularidade, mas isso não tem registro em minha carreira pública. Fiz e se fosse preciso faria de novo sem nenhum remorso profissional”, afirmou o coronel, que foi exonerado do Comando de Policiamento do Interior.
Melo disse que a situação do policial militar maranhense hoje “é de desânimo total, de desmotivação”.
Ele atribuiu à governadora a responsabilidade “pela desmotivação da tropa”. “Se a própria governadora não cumpre um acordo, não vejo motivo para o policial militar está motivado com todo esse descaso”.  
O coronel, entretanto, disse que apesar “de toda essa situação”, “ainda temos uma Polícia Militar muito profissional no Maranhão em razão de nosso compromisso, de nós policiais, com a sociedade”.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara não descarta acionar MP para suspender pagamento de contas de energia elétrica em Imperatriz

A comissão de vereadores formada para encaminhar as proposições no relatório que será enviado a autoridades, órgãos e entidades locai...