AGORA - Operação prende 8 por tráfico e homicídios


Oito pessoas foram presas como resultado de uma operação desencadeada em conjunto pelas Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, visando coibir práticas criminosas envolvendo tráfico de drogas nas cidades de Porto Franco, Campestre do Maranhão e Estreito.

Também participaram da ação policial, o Ministério Público e o Poder Judiciário. Na operação, também foi recapturado um acusado de homicídio na cidade de Porto Franco.

No trabalho de investigação, foram identificados pontos de circulação de drogas em vários municípios do estado. Na cidade de Porto Franco foi detido Luciano Silva Santos com muitas pedras de crack já prontas para comercialização. 

Ainda em Porto Franco, foi preso Valdemir Lima Bezerra, portando maconha. Segundo informações policiais, ele já foi detido por tráfico na cidade de Goiânia, estado de Goiás.

Em Campestre do Maranhão, a 20 km de Porto Franco, a polícia conseguiu prender Odiclecio Vieira da Silva e sua esposa, Juscilene da Silva Costa, ambos com crack. 

No município de Estreito, foram presos, Domingos Farias dos Santos, acusado de ser o responsável pela distribuição de drogas na região e, Márcia Oliveira dos Santos, também acusada de envolvimento com tráfico.

Durante a operação foi recapturado, no município de Grajaú, o foragido da Justiça, Antonio Raimundo de Lima. Ele responde pelo homicídio cometido contra Kátia de Sousa Lima, na cidade de Porto Franco. A prisão ocorreu após um assalto cometido na cidade de Grajaú. Ele foi levado para a Penitenciária de Pedrinhas, em São Luís. 

A Polícia Rodoviária Federal também autuou em flagrante, Geraldo Cavalcante dos Santos, por dirigir embriagado em estradas na cidade de Porto Franco. Em seguida, ele foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Porto Franco.

Com informações da Secretaria de Comunicação do Governo do Maranhão

Um comentário:

  1. Quando trabalham sério, a coisa funciona. O Governo do Estado, tem que a Polícia Militar e a Polícia Civil, aqui em Carolina, dá uma pena a falta de material humano e equipamentos para o trabalho ser executado no dia a dia.
    Anildo Araújo

    ResponderExcluir

Perseguição na praia e estacionamento privado

Há décadas, durante quatro meses de veraneio, homens e mulheres do povo aproveitam para engordar suas poucas finanças familiares. Gas...