Deputados lançam frente em favor de Carajás e Tapajós

Deputados lançaram nesta quinta-feira (4) a Frente Parlamentar em Defesa dos Estados de Tapajós e Carajás. São sete deputados federais e 16 estaduais que lutam pela divisão do Pará.

O principal argumento é que a divisão resultaria em maior desenvolvimento para essas duas regiões, hoje, segundo os congressistas, "abandonadas" pela região central do Pará.

"Chegou a hora de dividir para multiplicar. Diga sim para a esperança, mais segurança, mais saúde, mais educação", diz o jingle do movimento que defenda a emancipação.

 O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) comanda o grupo que quer a divisão de Carajás e Lira Maia (DEM-PA) o grupo de Tapajós. Eles dizem que a frente deve ganhar mais apoios em breve. Os deputados esperam contar com a pressão de parlamentares do Tocantins e Mato Grosso do Sul, Estados que se dividiram de Goiás e Mato Grosso, respectivamente.

"A divisão do Mato Grosso e do Tocantins são os melhores exemplos para conhecer melhor e mostrar que é imperativo a divisão do Estado de Tapajós e Carajás. Todo mundo ganha, o Estado remanescente [Pará] também", afirmou o ex-senador Leomar Quintanilha (TO).

O plebiscito sobre o assunto acontece no próximo dia 11 de dezembro. Amanhã, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deve debater as regras e detalhes das campanhas pró e contra a divisão do Estado. Já o STF (Supremo Tribunal Federal) deve decidir em breve quem participa da votação: se apenas a população das regiões que querem emancipação ou se todo o Pará. Caso aprovada, a divisão ainda precisa passar pelo Congresso.

Um dos argumentos da região Sul do país e também dos contrários ao movimento lançado hoje é que a divisão criaria uma distorção política, já que, constitucionalmente, cada Estado tem que ter três senadores e, no mínimo, oito deputados federais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Perseguição na praia e estacionamento privado

Há décadas, durante quatro meses de veraneio, homens e mulheres do povo aproveitam para engordar suas poucas finanças familiares. Gas...