Se a esperança venceu o medo, o Amor vai vencer o Ódio!

A eleição presidencial deste ano, sem duvida esta marcada por algumas reviravoltas e principalmente por uma polarização poucas vezes vista na historia da Republica brasileira. É comum identificarmos alguns  sentimentos, como a razão, a emoção, a torcida, mas sobretudo o amor e o ódio. 

Este ódio não surgiu do nada e não apareceu como passe de magica, já era possível identificar nas passeatas de junho do ano passado, um sentimento sobre tudo nas grandes cidades e em especial nas redes sociais, um ódio dirigido e que tem como objetivo atingir principalmente o Partido dos Trabalhadores (PT), este que é o partido que cristaliza uma frente ampla, que nos últimos doze anos vem mudando a cara e a vida dos Brasileiros.

Durante digamos a “reta final” das mobilizações de Junho, já era possível sentir um ódio a este projeto que vem mudando o país, setores consideráveis da imprensa brasileira ajudava e muito a jogar água neste moinho, visando certamente a disputa presidencial que iria se realizar neste ano. A Elite brasileira foi capaz de queimar bandeiras, evocar os sentimentos mais obscuros de ódio, dividir o Brasil como se fossem “eles” e “nós”, como se participar de alguma passeata fosse moda, que tal gigante acordou, ignorando todo um histórico de bravas lutas do nosso povo ao longo das décadas, desde quando o Brasil é Brasil, ou melhor, desde quando o Brasil ainda era Colônia.

O ódio nutrido e alimentado aflorou na abertura da Copa do Mundo, um público composto em sua maioria por endinheirado que gastaram uma boa nota para ter o ingresso, junto com aqueles que não fazem parte do mundo dos meros mortais (como a maioria dos brasileiros) e participam das rodas “VIP’s”, esses por sua vez conseguiram sem muitas dificuldades os seus ingressos. Juntos os primeiros com os segundos vaiaram a presidenta Dilma e pronunciaram palavras de baixo nível, mas isso era apenas a primeira brisa que ainda iria bradar, durante os próximos meses.

A candidatura oficial da representação da Direita tradicional brasileira, o senador mineiro que costuma passar mais tempo no estado do Rio de Janeiro, Aécio Neves já se beneficiava obviamente deste sentimento, por que afinal de conta é a oposição oficial à “isto tudo que tá ai”, mas usou e abusou quando viu suas chances diminuídas e ameaçada de ir ao segundo turno, pela candidatura de Marina Silva, uma espécie de candidatura que a nossa direita brasileira poderia adotar, meio que numa de “ se não tem tu, vai tu mesmo”. 

Neste momento Aécio toma uma decisão de assumir para si, a postura agressiva e o único representante possível de pegar esse ódio, esse antipetismo, este sentimento asqueroso e dizer com todas as letras o voto útil para derrotar o PT. Feito isso sua campanha só foi para o pior que poderia ir, se apoderou do espirito da direita conservadora, arcaica, e vem desde então nutrindo e incentivando este ódio, que nada mais é do que o ódio de classes, daqueles que sempre foram os possuidores, sempre detiveram o capital, privilégios, e todas as regalias, deste lado estão os  que não suportam a possibilidade de ver os mais pobres com carro, com perfumes caros, andar de avião, frequentar os mesmos shopping center e etc. 

Decidiram por entrar em um campo minado, um campo do ódio e por outro lado, sobrou para campanha da presidenta Dilma jogar em outro viés, na perspectiva de jogar claro com os brasileiros, admitindo que existe ainda muitos problemas no nosso país, mas que não é olhando para traz, não é com redução de direitos, não é com ódio, mas sim com amor no coração e brilho no olhar, que juntos iremos mudar mais ainda o Brasil. Nesta reta final de segundo turno, isso ficou ainda mais claro, e em especial nesta ultima semana de campanha. Neste momento se consegue sentir, nas ruas, nos atos e mais uma vez nas redes sociais, a campanha do ódio, tenta criminalizar os nordestinos, acusam tudo e todos de comunista ( como se isso fosse um grande mal), e o mais absurdo de tudo que o Brasil caminha para uma terrível Ditadura! 

Enquanto isso a campanha que leva a mensagem do amor e da esperança, da possibilidade de juntos o Brasil seguir um caminho de desenvolvimento e abrir um novo ciclo, vai cada dia que passa ganhando mais mentes e corações. Na primeira eleição de Lula em 2002 uma característica ficou marcada que foi o a esperança vencer o medo, de esta vez o Amor ira triunfar sobre o ódio. Nestes últimos três dias ainda existem muitos votos a serem conquistados, muitas batalhas a ser travadas, mas juntos iremos triunfar, não vamos aceitar dividir o Brasil, juntos construiremos com Dilma presidenta a abertura de um novo ciclo para o nosso amado e querido país. 

Aqueles que nutrem este ódio, sinto lhes dizer, mas  o ódio não saíra vitorioso desta batalha, a mensagem de amor e esperança, junto com a realidade dos últimos doze anos ira reconduzir o campo politico que muda o Brasil para a presidência da Republica e para as elites só resta a minha sinceridade, sim este governo tem um lado! O lado do trabalhador, o lado dos mais pobres o lado daqueles que nunca foram assistidos, para vocês só resta os meus pêsames... 

Adriano Matos (Mú) 
Presidente Estadual da UJS/MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara aprova 6.29% de reajuste para a Educação

A Câmara Municipal aprovou nesta quinta-feira (25) projeto de reajuste salarial de 6.29% para os servidores da Educação e a isonomia ...