“Monstro de Pinheiro” é decapitado durante rebelião

José Agostunho, o "monstro de Pinheiro"
A Polícia Civil de Pinheiro (350 km de São Luís, no MA) tenta conter uma rebelião iniciada na noite de segunda-feira (7), que deixou pelo menos seis presos mortos na delegacia da cidade. As negociações começaram por volta das 6h desta terça-feira.

Quatro presos foram decapitados, e a polícia suspeita que entre os mortos esteja o lavrador José Agostinho Bispo Pereira, preso em junho de 2010 sob a acusação de manter em cárcere privado a filha Sandra, com quem teve sete filhos-netos.

Entre as reivindicações dos presos, está a solução para o problema de superlotação na unidade. Até ontem eram 92 presos, segundo a polícia, mas a delegacia tem capacidade para 30.

Os presos também reivindicam o fornecimento de comida caseira, já que a maioria é de Pinheiro ou tem familiares na cidade.

Negociação

O Governo do Estado do Maranhão comunica que está acompanhando com preocupação a rebelião iniciada na delegacia de Pinheiro, na noite de ontem (7), por volta das 23h.

A Secretaria de Segurança Pública informa que desde o início da rebelião, está fazendo todos os esforços no sentido de negociar e acabar com o motim.

O movimento começou após uma tentativa frustrada de fuga. Foram confirmadas as mortes de seis presos, a maioria deles envolvidos com crimes de pedofilia. Um dos mortos foi José Agostinho Bispo, conhecido como o ‘monstro de Pinheiro’.

Entre as reivindicações dos rebelados, está o fornecimento de comida caseira, já que a maioria deles é da cidade de Pinheiro e querem receber comida de casa.

O secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, determinou o acompanhamento rigoroso na negociação com os presos.

O secretário adjunto de Inteligência da SSP, Laércio Costa; o comandante geral da PM, coronel Franklin Pacheco, e o superintendente de Polícia Civil do Interior, Jair Lima de Paiva, também já se encontram no local, na comissão de negociação com os presos, acompanhados de um juiz e 2 promotores de Justiça da comarca de Pinheiro, além de um pastor que foi solicitado pelos presos.

Policiais Militares do Batalhão de Choque e uma equipe do Grupo Tático Aéreo (GTA) também foram deslocados para o município desde a madrugada e já cercaram toda a área em torno da delegacia.

A SSP ressalta ainda que está em trâmite processual a construção de uma unidade prisional a ser instalada em Pinheiro, fruto de um convênio entre o Governo do Maranhão e o Departamento Penitenciário (Depen) do Ministério da Justiça (MJ), que deve ter suas obras iniciadas nos próximos meses. O novo presídio terá capacidade para 396 detentos, e atenderá toda a região da Baixada Maranhense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Perseguição na praia e estacionamento privado

Há décadas, durante quatro meses de veraneio, homens e mulheres do povo aproveitam para engordar suas poucas finanças familiares. Gas...