ÁGUA Para Todos os Maranhenses

Marajá do Sena: 67% dos moradores vivem em extrema pobreza 
Metade da população maranhense não tem banheiro nem água encanada em casa. A triste realidade é o retrato da miséria que coloca o Maranhão com o campeão dos piores indicadores sociais do Brasil.

São cinco décadas de dominação de uma única família, que mantém o poder repartido entre os apadrinhados – grandes e pequenos coronéis da política local -, permite a corrupção no serviço público, aparelha o estado em nome da perpetuação nas esferas do poder, enriquece cada vez mais rápido e se associa aos grandes e médios empreendimentos em vários setores da economia maranhense.

Resultado: miséria, atraso, mortes, sofrimento. Como em Marajá do Sena, o pequeno município de 8 mil habitantes, destaque no noticiário nacional recentemente por ser o município com o maior percentual de pessoas vivendo na extrema miséria (67% da população). Dois em cada três moradores do lugar vivem na miséria.

“Precisamos garantir o mínimo do mínimo para esses irmãos maranhenses. Nosso estado é rico, o atraso e a miséria não podem ser a nossa marca. Queremos um Maranhão para todas as famílias maranhenses e não apenas para uma”, diz o candidato da oposição ao governo do estado, Flávio Dino, líder nas pesquisas.

Seu adversário, Edinho Lobão, filho do ex-governador Edison Lobão, é fruto da política coronelista comandada pela família Sarney. Conservador, rico, herdeiro de vários empreendimentos no Estado e de um grupo de comunicação, aparece como a tábua de salvação do modelo ultrapassado da mais antiga oligarquia do Brasil. O pai é pupilo de José Sarney e o obedece cegamente.

“O mínimo do mínimo”, segundo Flávio Dino, é garantir, por exemplo, entre as necessidades básicas da maior parte dos maranhenses, garantir acesso a água tratada.

“Em pleno século 21, em meio à revolução tecnológica, é estarrecedor saber que pessoas não têm água encanada nem banheiro em casa”, afirma indignado.

Entre as propostas do candidato oposicionista, que lidera uma coalização de nove partidos, está o Programa Água para Todos. O objetivo é garantir água encanada e tratada e banheiro na casa de todos os maranhenses.

E como fazer? Flávio Dino responde: “Nos municípios que não são atendidos pela Caema [a companhia estatal de água], serão feitos convênios com o governo do estado”.

Outra medida, segundo Flávio Dino, é implementar as ações previstas no Decreto 7.535/2011, que criou o Programa Água para Todos, do governo federal.

“Os problemas são grande, mas soluções são políticas. Basta ter coragem, vontade e honestidade com nosso povo para construir a base da transformação”, argumenta o candidato.


“Nosso primeiro passo para implantar uma política moderna e transformadora é mudar o governo e o jeito de governar. Uma mudança não só de nomes, de partidos, de grupos, mas sim de postura e de conduta. Queremos e vamos inaugurar uma nova política no Estado, baseada no diálogo e no respeito às pessoas”, acrescenta. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EXCLUSIVO Márlon Reis diz que Senado é “opção possível”

Márlon Reis, ex-juiz, um dos criadores da Lei da Ficha Limpa (Foto: Carlos Gaby) Em entrevista exclusiva ao blogue, o advogado e ex...