Excessos e privilégios no governo têm que acabar, afirma Flávio Dino

O candidato da Coligação Todos Pelo Maranhão, Flávio Dino, afirmou que é preciso acabar com os privilégios e excessos no uso da máquina pública do Estado. Em entrevista ao Programa Avesso, da TV Guará, ele ressaltou que é preciso resgatar o caráter público do governo.
“Vamos reorganizar a máquina, há muitos excessos e privilégios. Há pessoas que recebem sem trabalhar, há um numero indefinido de secretarias porque a maquina administrativa foi apropriada para atender interesses de pequenos grupos”, afirmou.
Flávio disse que vai redistribuir cargos públicos para atender as necessidades da população. “Vamos garantir que o princípio da moralidade seja atendido”, disse.
Ele ressaltou que os servidores com capacidade e competência serão mantidos – como fez durante sua gestão na Embratur. Flávio lembrou que, quando chegou ao instituto, fez questão de manter no cargo todos os que de fato trabalhavam. “Se tem capacidade e competência, não importa quem nomeou.”
Honestidade e menos burocracia
Flávio também ressaltou que os gastos do governo precisam passar por um pente fino. “A questão é como essa máquina administrativa é utilizada. Precisamos recuperar a noção de servir ao público.”
O candidato listou alguns problemas decorrentes da burocracia da máquina pública atual e citou o exemplo do licenciamento ambiental. “Muitos empresários sofrem anos para conseguir uma licença ambiental, abrir seus negócios e gerar empregos e oportunidades. É preciso fazer que esse setor da administração pública funcione bem”, afirmou.
Sustentabilidade e empregos
Flávio também destacou a necessidade de desenvolver o Maranhão com sustentabilidade. “É preciso ter leis claras, ter honestidade, dar sentido a unidades de conservação”, afirmou, sempre reforçando a parceria entre economia e meio ambiente para proteger a natureza e criar empregos.
Flávio ainda deixou claro que seu governo vai dar grande importância à agricultura familiar, para gerar emprego e renda. “Vamos fazer o Maranhão voltar a ser um grande exportador de alimentos para o mundo. É possível fazer, desde que se queira fazer.”
Flávio abordou ainda a questão da violência no campo. Ele se comprometeu com a “firmeza contra a violência, contra a pistolagem” ao lembrar seu papel atuante na área quando era juiz e deputado federal.
O candidato também afirmou que os movimentos sociais serão tratados com dignidade e respeito. E que o direito de protestar por melhores condições de vida é uma garantia indiscutível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clã Sarney e o ‘Bloco Sanatório Geral’

Os temas se cruzam com extrema coincidência que pensamos (ou temos certeza) que ainda estamos no auge do coronelismo político no Maranhão...