Processo de Capuchinhos contra formigas vira livro

Juiz José Eulálio, autor de "O processo das Formigas"

O magistrado e professor universitário, juiz José Eulálio Figueiredo de Almeida, lança, nesta quinta-feira, 6, o livro “O processo das formigas”. A cerimônia de Lançamento será realizada no Fórum Eleitoral Des. Francisco Fernandes Sobrinho, na Avenida Vitorino Freire s/n, Madre Deus, em São Luís.

A obra retrata um caso criminal célebre ocorrido no Maranhão Província – o processo que os frades capuchinhos do Convento Santo Antonio moveram no século XVIII contra as formigas maranhenses.

De acordo com os relatos, os “insetos-réus” foram acusados da prática de furto qualificado, por retirarem farinha de um depósito mantido pelos religiosos que habitavam o seminário. As formigas também foram acusadas de crime de dano por cavarem caminhos subterrâneos que colocaram em risco a segurança do edifício dos monges.

“A litigância entre os frades capuchinhos e as formigas foi originariamente noticiada pelo padre Manuel Bernardes, sob a garantia de que o processo realmente existiu e chegou ao seu termo, mediante prolação de sentença que condenou os insetos a desocuparem o terreno onde se encontrava o seminário”, conta o juiz, que também é autor de "O crime da baranosesa (2009).

O jurista ressalta que o jornalista maranhense João Francisco Lisboa também noticiou o caso no passado, afirmando, entretanto, que o fato era fruto da imaginação do padre Bernardes.

Em “O processo das formigas”, José Eulálio, analisa o caso com olhar clínico, enriquecendo-os com fatos históricos, passagens bíblicas, citações. A proposta do autor é que a notícia histórica sobre o fato pitoresco, sem muita importância prática, se torne estudo sério, científico, metodológico, acessível aos leitores de diversas tendências culturais, estudiosos ou não do direito.

Serviço:

Obra: O Processo das Formigas
Autor: José Eulálio Figueiredo de Almeida
Lançamento: 06/10/2011
Horário: 18 horas
Local: Fórum Eleitoral Des. Francisco Fernandes Sobrinho, na Avenida Vitorino Freire s/n, Madre Deus.

(ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO TJMA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Perseguição na praia e estacionamento privado

Há décadas, durante quatro meses de veraneio, homens e mulheres do povo aproveitam para engordar suas poucas finanças familiares. Gas...