Coligação de Flávio Dino pede tropas federais para a eleição no Maranhão


Após TV de Edinho Lobão mostrar vídeo chileno com acusações contra “Flavio Diño”, candidato pede intervenção da Polícia Federal para evitar fraudes na eleição

A coligação Todos Pelo Maranhão realizou uma entrevista coletiva nesta terça-feira (23/set) para comentar o vídeo chileno divulgado hoje pela TV Difusora, de propriedade do candidato da família Sarney, Edinho Lobão. No vídeo, uma pessoa que não se identifica acusa “Flavio Diño” de fazer parte de um esquema que não é explicado. Poucas horas antes da Difusora divulgar o vídeo, o candidato Edinho afirmou que há uma “origem político-eleitoral” por trás da crise de Pedrinhas.

“Esse vídeo é uma fraude que estão usando para tetar macular a festa democrática” coordenador da coligação Todos Pelo Maranhão, deputado Marcelo Tavares. “O fato do vídeo ter sido postado no Chile já demonstra que os criminosos são os autores desta farsa”, afirmou.

“A TV Difusora do senhor Edinho Lobão é co-autora desse crime ao difundir um vídeo que não é reconhecido pela Secretaria de Segurança do Estado do Maranhão”, afirmou o presidente do PCdoB maranhense, Márcio Jerry.

Abaixo, a íntegra da nota:

PRONUNCIAMENTO OFICIAL À SOCIEDADE MARANHENSE

- A coligação “Todos pelo Maranhão” quer eleições Limpas e em Paz!

Sobre os últimos acontecimentos envolvendo o uso abusivo do aparelho estatal contra a família de Flávio Dino e o vídeo forjado contra Flávio Dino e membros da oposição maranhense, a coligação “Todos pelo Maranhão” esclarece que:

Após ofício protocolado pela coligação “Todos pelo Maranhão” junto à Secretaria Estadual de Segurança Pública, a Corregedoria da Polícia Militar do Estado do Maranhão disponibilizou à coligação a íntegra do videomonitoramento que acompanhou a abordagem do senhor Saulo Dino por uma suposta blitz do Choque da PM.

Em 1 hora e 30 minutos de vídeo, foi comprovado o abuso cometido pelo aparelho estatal em relação aos familiares de Flávio Dino – candidato a Governador do Maranhão. As imagens comprovam que o carro de Saulo foi o único abordado e inspecionado pelos policiais e que teve seu carro vistoriado durante uma hora, de onde foram retirados materiais de campanha do candidato.

Logo em seguida à liberação de Saulo Dino da blitz, um senhor identificado como “Isaac” - que faria parte do Serviço Velado da Polícia Militar (conhecido por PM 2) – conversou com o chefe da Operação de abordagem. Isaac não estava fardado e saiu de um carro que acompanhou Saulo Dino desde o hotel em que estava hospedado até o local da blitz. Após conversar com Isaac, a blitz foi desmontada e os dois veículos do Choque da Polícia Militar deixaram o local.

A coligação foi informada pela Corregedoria da Polícia Militar que todos os policiais foram identificados e prestarão esclarecimentos à Corregedoria – que continua investigando os procedimentos que levaram à realização da estranha blitz.

Documentos apresentados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública à coligação demonstraram também que a “blitz” não fora sequer registrada no livro do Oficial do Dia, mesmo tendo sido deslocados para lá um total de nove policiais.

O caso continua sob investigação mas, de posse do registro do videomonitoramento, da prova de que a operação não foi sequer registrada e da presença de integrante do Serviço Velado da PM, é possível afirmar que Saulo Dino foi alvo de uma operação montada ilegalmente contra ele, sem que ele seja alvo de qualquer denúncia ou investigação.

Todos os fatos acima relatados caracterizam o uso político-eleitoral do aparelho de Segurança Pública do Estado e demonstram o abuso de poder utilizado contra um adversário político.

Diante deste cenário e das montagens grosseiras forjadas para tentar relacionar Flávio Dino à crise de Segurança que tem como responsável exclusivo o GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO, informamos à imprensa e à sociedade maranhense as seguintes providências:

1 – Pedido ao Tribunal Regional Eleitoral da presença de Tropas Federais para acompanhar o período eleitoral – garantindo a paz e a segurança dos cidadãos maranhenses;

2 – Acompanhamento do processo de investigação pela Corregedoria da Polícia Militar para informar os motivos que levaram à abordagem ilegal do irmão de Flávio Dino – identificando os mandantes da operação clandestina, bem como esclarecer a participação da Polícia Velada em perseguição ao senhor Saulo Dino e família. Fazemos isso em defesa da atuação republicana e democrática das Polícias, em defesa do Estado e do Cidadão, sem servir de instrumento a grupos políticos. Neste sentido, temos plena convicção de que a corporação não admite atitudes como a acima relatada;

3 – Apresentar à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal o IP em que o vídeo forjado contra Flávio Dino está hospedado para que seja identificada a sua origem e os autores sejam punidos. O vídeo deverá ser investigado;

4 – Reiterar o pedido à campanha do senhor Edinho Lobão Filho de que nesta reta final debata as diferenças no plano exclusivamente político e programático. Sem agressões que tumultuem o processo eleitoral e a paz dos maranhenses.

Coligação Todos pelo Maranhão

Márcio Jerry Saraiva Barroso
Presidente estadual do PCdoB - ma

Marcelo Tavares Silva
Deputado Estadual

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CASO NENZIN - Roseana e Sarney Filho se calam após a prisão de Júnior

Roseana faz campanha para Júnior (camisa e boné verde); ele, segundo a Polícia, é o mandante da morte do próprio pai, o ex-prefeito Nenzin...