Comando da PM e Roseana devem explicação sobre ação ilegal, diz coligação

O presidente do PCdoB Maranhão e representante da Coligação Todos Pelo Maranhão, Márcio Jerry, afirmou nesta sexta-feira que o comando da Polícia Militar deve explicações sobre a operação atípica contra Saulo Dino, irmão do candidato Flávio Dino, nesta semana.

Saulo foi abordado por uma blitz após ser seguido quando saía de São Luís para Imperatriz. A ação foi filmada e apenas Saulo foi alvo da operação. A Coligação Todos Pelo Maranhão denunciou a operação na quinta-feira.

Ao jornal O Estado do Maranhão, o comando da Polícia Militar disse que a ação foi legítima. Apesar de admitir que não estava em São Luís e que ainda precisava buscar mais informações, o comandante geral Zanoni Porto classificou de "estranha" a denúncia.

Por meio do Twitter, Márcio Jerry comentou as declarações do comandante geral: “O Coronel Zanoni deve explicar à sociedade a natureza da ação realizada, preservando a imagem da respeitável corporação militar”.

“A ação ilegal do comando da PM revoltou os militares, cientes do seu papel constitucional. A PM merece respeito”, acrescentou, por meio do Twitter.

Márcio Jerry ainda disse que “os militares maranhenses, temos certeza, não aceitarão realizar ações ilegais para fins políticos”. E lembrou que “a Constituição garante imunidade aos cidadãos de ações ilegais, de abuso de autoridade, de violência. A ação do dia 3 foi ilegal e abusiva”.

“Todos podemos ser abordados pela PM, claro; mas não de forma ilegal.”

“Mais que o Coronel Zanoni, a governadora Roseana Sarney deve explicações. Não é aceitável o estado agir ilegalmente para coagir cidadãos.”

“Ao denunciar as ilegalidades alertamos a sociedade e as instituições para o que possa ocorrer com a integridade física e moral nossa”, acrescentou Márcio Jerry.


Deputado desafia membros da PM a mostrar imagens da operação contra irmão de Flávio Dino

Coordenador da campanha de Flávio Dino, o deputado Marcelo Tavares desafia os integrantes da Polícia Militar que participaram da operação de espionagem contra familiares de Flávio Dino a divulgar o vídeo gravado pela corporação durante a emboscada montada para intimidar o empresário Saulo Dino, irmão do candidato oposicionista.

Segundo Marcelo Tavares, a operação foi filmada pelos integrantes da Polícia Militar e nelas é possível constatar que nenhum outro carro foi parado pela blitz montada na Estiva. “O caso foi direcionado para atacar a família de Flávio Dino, Se agora eles querem mudar a versão, que provem com as filmagens feitas pelos próprios policiais”, disse.

O deputado afirmou ainda que as gravações, se cedidas pela PM, vão demonstrar que o único carro abordado foi o de Saulo Dino, o que caracteriza que a ação foi montada apenas para intimidá-lo.

A operação que durou cerca de uma hora e que tinha como objetivo atingir toda a coligação que lidera as pesquisas e criar uma trama contra o candidato do PCdoB foi filmada pelos integrantes da operação que teria sido dirigida pela polícia secreta, segundo informações obtidas pela coligação.

O deputado afirmou ainda que tem confiança no trabalho da Polícia Militar e que está convicto de que grande parte da corporação desaprova a conduta de poucos policiais que usam seu trabalho em nome de grupos políticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ausência de vereadores: Câmara entra em recesso sem votar Orçamento

Mesa Diretora para o biênio 2019/2020 eleita na sessão desta quinta (14)  A Câmara Municipal de Imperatriz entrou oficialmente em reces...